"Nós não somos seres humanos tendo uma experiência espiritual. Somos seres espirituais tendo uma experiência humana"

(Teillard de Chardin)

28 agosto 2010

Quem é sua alma gêmea?



Pergunta frequente no cenário masculino ou feminino:

- Será que Fulano ou Fulana é minha alma gêmea? Sinto que é!

Você acredita em alma gêmea? Almas afins? Almas companheiras?

Partindo do princípio reencarnacionista, somos espíritos eternos e evoluímos através de vidas sucessivas.

Os afetos se atraem. Os desafetos se afastam. Mas, cuidado! O ódio entre duas pessoas é um forte elo que pode manter duas almas unidas até à redenção ou o perdão mútuo. Melhor não odiar! Quer ver o inimigo bem longe? Não odeie! O ódio é uma vibração fortíssima e faz muito mal.

Alma gêmea existe? Sim. É a afinidade de alma para alma. Como a gente sabe? Não tem jeito de saber a não ser pela intuição ou terapia de regressão de vidas passadas. Através da regressão podemos, em algumas ocasiões, relembrar fatos passados e até amores passados.

Almas que já se reencontraram em outras vidas se reconhecem na vida atual. Mas isso não quer dizer necessariamente que ficarão juntas. O destino e a missão de cada um pode ser diferente.

Sua alma gêmea pode estar bem perto de você: um filho muito querido, uma amiga especial, um pai querido, a mãe companheira. Temos muitas almas afins que compartilham de nossos afetos. Pensam como nós. Amam incondicionalmente. Almas afins estão no plano espiritual acompanhando sua vida através da proteção e inspiração de bons pensamentos.

Alma gêmea não tem muito a ver com atração sexual. Almas que se amam fortemente sente uma grande vibração atracional quando estão juntas. No entanto, o elo mais forte é o do espírito. Ele não acaba com a doença e nem com a velhice da matéria.

A maioria dos casamentos terrenos não é a união de duas almas afins, pelo contrário. Pode ser a união de duas almas completamente diferentes. Há uma espécie de contrato " lá em cima" em que o espírito que lesou o outro se arrepende. Pede para renascer homem ou mulher e se casar com o desafeto para se redimir da culpa. A intenção " lá em cima" é ótima, mas o véu da carne, mistura tudo. O véu do esquecimento e as falhas de caráter acabam com as boas intenções. O casal acaba se separando e muitas uniões terminam em tragédia ou um grande litígio.

Isso não significa necessariamente que você deva ficar ligado a uma pessoa só por dever. Deus quer o amor entre as criaturas. Acontece, que no mundo atual, amor de alma para alma , ainda está difícil. Comum o amor entre dois corpos, interesse material e por aí vai. E, por isso, o fracasso e o sofrimento.

Aquela frase: "Parece que faz séculos que eu o conheço! Será amor à primeira vista?"

Claro que acontece. Almas irmãs se reconhecem imediatamente pela energia que emana do espírito. Isso não significa necessariamente uma história de amor feliz. Depende da evolução de cada espírito, da convivência, da capacidade de amar.

Estudos de cientistas britânicos comprovaram que a teoria do amor à primeira vista é falsa. É preciso 12 meses de relacionamento aproximadamente para confirmar o amor verdadeiro.

Esses estudos comentam que os homens encontram o verdadeiro amor com mais frequência do que as mulheres.

Essa pesquisa diz que o amor é um misto de: paixão, intimidade, entrega.

E, que algumas pessoas admitem viver mais o amor companheiro do que o amor paixão depois de um certo período de convivência.

Questiono o termo amor à primeira vista.
O que acontece é um reconhecimento à primeira vista. Geralmente, uma sensação gostosa e inexplicável de que viveu algo com aquela pessoa que está vendo pela primeira vez. Como se um fio se ligasse ao outro e estabelecesse uma conexão imediata.

Um reconhecimento de intimidade, reencontro.

O amor propriamente dito virá depois com a convivência. E isso geralmente dá trabalho envolve amor, respeito e confiança.
Procura sua alma gêmea? Melhor baixar as expectativas. Pode ser que não encontre a pessoa amada que idealize, mas o ideal de amor que está precisando no momento.

Quer encontrar alguém que partilhe dos mesmos gostos que você, aquela simpatia gostosa...Será que encontrará? Se quiser encontrar o segredo é não procurar.

Almas afins, casamentos de amor, são difíceis de encontrar, mas existem.

Não abra mão da convivência para conhecer melhor seu ideal de "alma gêmea".

Escondido sob o véu da "alma gêmea" pode estar um grande desafeto de vidas passadas. Ele reaparece de repente na sua vida. Você sente amor, desejo e inquietação. O convívio é difícil e penoso. Amor difícil . Ficar ou não com ele? O quanto o amor superar.

Falo de amor, não de ligações doentias pautadas na fantasia da imaginação.

Um grande amor pode estar escondido na face do seu melhor amigo ou alguém que passa perto e você nem percebe. Olhe à sua volta. Mais perto do que você imagina pode estar sua alma gêmea! Está preparado para merece-la? Lembre-se! Você tem muitas almas afins , teve e terá ao longo do seu roteiro de evolução.

São grandes almas unidas por um afeto ( que não se imagina na Terra) que podem escolher reencarnar na Terra como mãe e filho, pai e filho, tia e sobrinha, professor e aluno , avó e neto e por aí vai.

Passam por sua vida muitas almas afins. São afinidades fluidicas, energias que se atraem e provocam um grande bem estar. Vem para ensinar para mostrar o caminho da evolução. Muitas almas galgam grandes efémerides de luz , mas baixam a Terra só para proteger seus pupilos. Essa é a mais linda prova de amor!

Como é bom amar!

Seja bom e sempre atrairá a bondade! E mesmo que algum desafeto venha colocar um espinho em sua jornada, suas almas afins vão protege-lo. Não há distancia, nem obstáculo definitivo para um amor verdadeiro. Em outras galáxias , noutros mundos, em outros países...o amor é UNIVERSAL. O infinito e a felicidade eterna é sua destinação!

Mesmo que esteja coberto de erros e enganos, sempre haverá um olhar de luz sobre você!

O amor é o amor!

Prepare-se para o amor, sendo amoroso.

Prepare-se para a felicidade, sendo feliz.

Prepare-se para um convívio feliz, sendo generoso.

Prepare-se para um convívio sereno, sendo otimista.

Seja feliz!
(texto extraído de www.relaxmental.com.br)

Soneto do Amor Total



Amo-te tanto, meu amor...não cante
O humano coração com mais verdade...
Amo-te como amigo e como amante
Numa sempre diversa realidade.
Amo-te afim, de um calmo amor prestante
E te amo além, presente na saudade.
Amo-te, enfim, com grande liberdade
Dentro da eternidade e a cada instante.
Amo-te como um bicho, simplesmente
De um amor sem mistério e sem virtude
Com um desejo maciço e permanente
E de te amar assim, muito e amiúde
É que um dia em teu corpo de repente
Hei de morrer de amar mais do
que pude.
(Vinícius de Moraes)

Nosso Espírito Protetor



Nenhuma criatura existe sobre a Terra que não conte com o auxílio de um Espírito protetor e nisso temos uma das mais belas e consoladoras concessões da providência divina.

Ninguém poderá dizer que está só na vida, mesmo que esteja momentaneamente isolado do convívio social, pois sempre contará com a presença amiga e oportuna de um Espírito generoso, seguindo seus passos.

Devemos, então, a ele recorrer com freqüência, quer seja para solicitar seus valiosos préstimos, quer seja para agradecer suas constantes e importantes intercessões em nosso favor. Deus o coloca a nossa disposição para que possamos cumprir com as nossas obrigações e responsabilidades na existência física, pois que a nossa presença na Terra tem objetivos claros de nos promover o crescimento espiritual.

No entanto, é preciso compreender que o Espírito protetor em momento algum realizará a tarefa que nos compete, uma vez que está ao nosso lado como um pai, um amigo, um irmão, mas não como alguém habilitado a fazer o serviço que nos compete, fruto de nossos compromissos. Além disso, é em razão do nosso próprio esforço que adquirimos as experiências que nos assegurará o amadurecimento espiritual de que temos tanta necessidade.

Desse modo, nosso benfeitor amigo intuitivamente nos aconselha nos momentos de dúvida, mas a decisão de qual caminho seguir será sempre nossa; escolher o que é melhor e mais proveitoso é de competência exclusivamente nossa.

O Espírito protetor pode nos consolar face a situações que nos causam dores e sofrimentos, mas sair do marasmo, ou da letargia, é obrigação própria de cada um, pois a vida sempre nos presenteia com todas as possibilidades de deliberar pela melhor direção.

Constantemente nosso Espírito protetor distribuiu sua ajuda ao nosso redor, mas precisamos trilhar pela vida com as nossas próprias pernas, pois tal decisão permitirá que colhamos os frutos da nossa plantação, o que faz nascer o indispensável aprendizado que não podemos dispensar.

Confiantes, aprendemos a contar com o valioso apoio desse amigo leal, mas não podemos descuidar, em nenhum momento, de seguir nossa própria estrada, uma vez que a evolução espiritual, que nos assegurará as conquistas eternas, sempre será o resultado do nosso esforço pessoal.

Os acertos verificados na vida ou os erros deliberados sempre serão de nossa inteira responsabilidade. Nunca a Providência divina nos deixará desprotegidos, nem nos desamparará, mas fazer ou deixar de fazer, seguir por um caminho ou por outro, sofrer ou ser feliz será sempre uma escolha totalmente nossa.

Busquemos, sim, pelo nosso Espírito protetor, mas nunca deixemos de assumir a nossa parte. Esse amigo espiritual terá sempre imenso prazer em nos ajudar, mas caso não lhe dermos ouvidos, preferindo acolher as sugestões que nos chegam de fontes menos dignas, poderá se afastar do nosso convívio, por algum tempo, até que aprendemos a reconhecer os verdadeiros valores da vida.

Trabalhar pela perfeição espiritual é tarefa exclusivamente nossa, mas a Bondade divina, para nos ajudar, colocou ao nosso lado um Espírito protetor. Procuremos por ele visando facilitar as nossas tarefas, mas nunca esqueçamos de que ele não realizará o serviço que é nosso.

(Waldenir A.Cuin)

*  *  *
 

Dias de sombras



"Coincidentemente, há dias que se caracterizam pela sucessão de ocorrências desagradáveis. Nada parece dar certo.

Todas as atividades se confundem, e os fatos se apresentam deprimentes, perturbadores.

A cada nova tentativa de ação, outros insucessos ocorrem, como se os fenômenos naturais transcorressem de forma contrária.

Nessas ocasiões as contrariedades aumentam, e o pessimismo se instala nas mentes e na emoção, levando-as a lembranças negativas com presságios deprimentes.

Quem lhe padece a injunção tende ao desânimo, e refugia-se em padrões psicológicos de auto-aflição, de infelicidade, de desprezo por si mesmo.

Sente-se envolto por forças descomunais, contra as quais não pode lutar, deixando-se arrastar pelas correntes contrárias, envenenando-se com o mau humor.

São esses, dias de provas, e não para desencanto; de desafio, e não para cessar o esforço.

Quando aumentam as dificuldades, maior deve ser o investimento de energias, e mais cuidadosa a aplicação do valor moral na batalha.

Desistindo-se sem lutar, mais rápido se dá o fracasso, e quando se vai ao enfrentamento com idéias de perda, parte do labor já está perdido.

Nesses dias sombrios, que acontecem periodicamente, e às vezes se tornam contínuos, vigia mais e reflexiona com cuidado.

Um insucesso é normal, ou mesmo mais de um, num campo de variadas atividades.

Todavia, a intérmina sucessão deles pode ter origem em fatores espirituais perniciosos, cujas personagens se interessam em prejudicar-te, abrindo espaços mentais e emocionais para intercâmbio nefasto contigo, de caráter obsessivo.

Quanto mais te irritares e te entregares à depressão, mais forte se fará o cerco e mais ocorrências infelizes tomarão forma.

Há mentes espirituais maldosas, que te acompanham, interessadas no teu fracasso.

Reage contra essas emboscadas mediante a oração, o pensamento otimista, a irrestrita confiança em Deus.

Rompe o continuar dos desacertos, mudando de paisagem mental, de forma que não vitalizes o agente perturbador.

Ouve uma música enriquecedora, que leve a lembranças agradáveis ou a planos animadores.

Lê uma página edificante do evangelho ou de outra obra de conteúdo nobre, a fim de te renovares emocionalmente, rompendo a sintonia com essas mentes infelizes.

Contempla uma região que te arranque do estado desanimador e lembra:

Há sempre sol brilhando além das nuvens sombrias, e, quando esse sol é colocado no mundo íntimo, nenhuma ameaça de trevas consegue apagar-lhe, ou sequer diminuir-lhe a intensidade da luz.

Segue-lhe a claridade e vence o teu dia de insucessos, confiante e tranqüilo.

Você sabia?

Que os benfeitores espirituais tentam nos ajudar nos momentos difíceis?

Eles erguem barreiras, estabelecendo muralhas vibratórias em nosso favor. Mas muitas vezes nós as arrebentamos a golpes de rebeldia e imprevidência."

O luto e suas fases



"Não existe regra ou prazo de duração para o luto, mas com certeza ele é necessario.
É um processo que ocorre em quatro fases, descritas por Alice Lanalice...

1. Entorpecimento
Choque, descrença. A pessoa se sente perdida.

2. Raiva ou protesto
Fase de emoções fortes, com muito sofrimento e agitação física. Revolta ao pensar que não poderia ter acontecido com você.

3. Desespero
É o auge do sofrimento. A ficha cai e a dor é tão grande que a pessoa fica isolada, deprimida.

4. Recuperação e restituição
Começa a elaboração do sentimento. A dor vai continuar ali, mas, agora, guardada em algum lugar dentro de você para que possa dar seguimento à vida de forma diferente de antes, mas com esperança.

Atitudes que são comuns:

- Achar que ninguém nunca sentiu uma dor desse tamanho. Procure conversar com quem já viveu o problema.

- Pensar na pessoa amada de uma forma presente, falar com ela.

- Cobrar demais uma superação. Não tenha pressa, chore o tempo que for, respeite o seu momento e saiba que uma hora, tudo passa.

- Querer que a vida volte a ser como antes. Não dá. Algo de diferente vai ficar para sempre com a falta daquela pessoa, o que não quer dizer que você não será mais feliz.

- Sentir-se culpada por sorrir. É comum achar que, passando por isso, não pode achar graça numa piada, no neto etc. Não só pode, como se deve fazer isso.

Como tentar amenizar a dor:

- Fale com amigos.
- Não se culpe por nada.
- Perdoe-se pelo que fez ou deixou de fazer.
- Cuide da própria saúde.
- Procure uma instituição ou grupo de autoajuda.
- Volte ao trabalho.
- Aceite a dor.
- Cultive a fé.
- Faça exercícios físicos, que vão lhe ajudar a dormir melhor.
-Transforme a dor em ajuda

Alice Lanalice fundou a Associação CASULO um ano depois da morte da filha Eliana, aos 27 anos. "Escrevi um ano num caderno. Quando fui passar a limpo, nasceu o livro Perfume de Eliana e a associação", conta.

A vontade de fundar a associação - que já tem dez anos - veio da necessidade de conversar com quem tivesse passado pela mesma dor. "Mostramos que temos que aprender a conviver com a dor", explica. De onde tirar essa força? "Tenho um neto de dois anos que me fez renascer. Ajudar as pessoas também me fez sentir melhor", resume Alice."

26 agosto 2010

Dica de filme - "O Filme dos Espíritos"



Após perder a esposa e a caminho do suicídio, um homem se depara com “O Livro dos Espíritos” e começa uma jornada de transformação interior rumo aos mistérios da vida espiritual e suas influências no mundo material. Este é o tema do primeiro filme dos diretores André Marouço e Michel Dubret, que acaba de ser rodado em São Paulo. Intitulado de “O Filme dos Espíritos“, o longa teve boa parte de suas gravações realizadas na capital paulista, mas outras cidades como Atibaia, Araçoiaba da Serra e Ubatuba também serviram de locação para a história.

Marouço é jornalista, radialista e produtor e está à frente da Mundo Maior Filmes (produtora vinculada à Fundação Espírita Andre Luiz). Dubret é formado em cinema pela Faap (Fundação Armando Álvares Penteado) e trabalhou por quatro anos no Studio Fatima Toledo, no casting e preparação de atores.

A produção do longa-metragem surgiu a partir do Projeto Mundo Maior de Cinema que, em 2009, recebeu cerca de 100 roteiros de jovens diretores e roteiristas, de diferentes regiões do país; desse grupo, oito foram selecionados e contaram com suporte técnico e profissional da produtora. O resultado foi a realização de oito curtas-metragens com tema espiritualista e transcedental. Eles foram exibidos, em novembro de 2009, e ainda premiados em diversas categorias. A etapa final dessa iniciativa é justamente a realização do longa “O Filme dos Espíritos“. A idéia é lançá-lo comercialmente ainda em 2010.

O longa tem no elenco parte dos atores e atrizes que estiveram nos curtas. Reinaldo Rodrigues é o protagonista. Ao seu lado, estão Nelson Xavier, Etty Fraser, Ênio Gonçalves, Ana Rosa e .

Em linhas gerais, o filme conta a história de Bruno Alves que, por volta dos 40 anos, perde a mulher e se vê completamente abalado. A perda do emprego se soma à sua profunda tristeza e o suicídio lhe parece a única saída. Nesse momento, ele entra em contato com O Livro dos Espíritos, obra basilar da doutrina espírita. Há também uma dedicatória no exemplar: “esta obra salvou-me a vida. Leia-a com atenção e tenha bom proveito.” A partir daí, o protagonista da história começa uma jornada de transformação interior rumo aos mistérios da vida espiritual.

25 agosto 2010

A Reunião das Trevas




O Chefe dos Espíritos das Trevas convocou uma Convenção Mundial de obsessores.

Em seu discurso de abertura, ele disse:

"Não podemos impedir os cristãos de irem aos seus templos."

"Não podemos impedi-los de ler os livros e conhecerem a verdade."

"Nem mesmo podemos impedi-los de formar um relacionamento íntimo com os Espíritos Elevados e Jesus.*

E, uma vez que eles ganham essa conexão com os Espíritos Elevados e Jesus, o nosso poder sobre eles está quebrado.?

"Então vamos deixá-los ir para suas igrejas, vamos deixá-los com os almoços e jantares que neles organizam, MAS, vamos roubar-lhes o TEMPO que têm, de maneira que não sobre tempo algum para desenvolver um relacionamento elevado".

"O que quero que vocês façam é o seguinte"- disse o obsessor-chefe:

"Distraia-os a ponto de que não consigam aproximar-se de Jesus e dos espíritos superiores."

Como vamos fazer isto? Gritaram os seus asseclas.

Respondeu-lhes:

"Mantenham-nos ocupados nas coisas não essenciais da vida, e inventem inumeráveis assuntos e situações que ocupem as suas mentes."

"Tentem-nos a gastarem, gastarem, gastarem, e tomar emprestado, tomar emprestado..."

"Persuadam as suas esposas a irem trabalhar durante longas horas, e os maridos a trabalharem de 6 à 7 dias por semana, durante 10 à 12 horas por dia, a fim de que eles tenham capacidade financeira para manter os seus estilos de vida fúteis e vazios."

"Criem situações que os impeçam de passar algum tempo com os filhos."

"À medida que suas famílias forem se fragmentando, muito em breve seus lares já não mais oferecerão um lugar de paz para se refugiarem das pressões do trabalho".

"Estimulem suas mentes com tanta intensidade, que eles não possam mais escutar aquela voz suave e tranquila que orienta seus espíritos".

"Encham as mesinhas de centro de todos os lugares com revistas e jornais".

"Bombardeiem as suas mentes com noticias, 24 horas por dia".

"Invadam os momentos em que estão dirigindo, fazendo-os prestar atenção a cartazes chamativos".

"Inundem as caixas de correio deles com papéis totalmente inúteis, catálogos de lojas que oferecem vendas pelo correio, loterias, bolos de

apostas, ofertas de produtos gratuitos, serviços, e falsas esperanças".

"Mantenham lindas e delgadas modelos nas revistas e na TV, para que os maridos acreditem que a beleza externa é o que é importante, e eles se tornarão mal satisfeitos com suas próprias esposas"...

"Mantenham as esposas demasiadamente cansadas para amarem seus maridos.

Se elas não dão a seus maridos o amor que eles necessitam, eles então começarão a procurá-lo em outro lugar e isto, sem dúvida, fragmentará as suas famílias mais rapidamente."

"Dê-lhes Papai Noel, para que esqueçam da necessidade de ensinarem aos seus filhos, o significado real do Natal."

"Dê-lhes o Coelho da Páscoa, para que eles não falem sobre a ressurreição de Jesus, e a Sua mensagem sobre o pecado e a morte."

"Até mesmo quando estiverem se divertindo, se distraindo, que seja tudo feito com excessos, para que ao voltarem dali estejam exaustos!".

"Mantenha-os de tal modo ocupados que nem pensem em andar ou ficar na natureza, para refletirem na criação de Deus. Ao invés disso, mande-os para Parques de Diversão, acontecimentos esportivos, peças de teatro banais, apresentações artísticas mundanas e à TV entorpecedora. Mantenha-os ocupados, ocupados."

"E, quando se reunirem para um encontro, ou uma reunião espiritual, envolva-os em mexericos e conversas sem importância, principalmente fofocas, para que, ao saírem, o façam com as consciências comprometidas".

"Encham as vidas de todos eles com tantas causas supostamente importantes a serem defendidas que não tenham nenhum tempo para buscarem a espiritualidade e Jesus". *

Muito em breve, eles estarão buscando, em suas próprias forças, as soluções para seus problemas e causas que defendem, sacrificando sua saúde e suas famílias pelo bem da causa."

"Isto vai funcionar!! Vai funcionar !!"

Os espíritos trevosos ansiosamente partiram para cumprirem as determinações do chefe, fazendo com que os cristãos, em todo o mundo, ficassem mais ocupados e mais apressados, indo daqui para ali e vice-versa, tendo pouco tempo para Deus e para suas famílias. *

Não tendo nenhum tempo para contar a outros sobre a sublimidade e o poder do Evangelho de Jesus para transformar suas vidas.

Creio que a pergunta é: Teve o Obsessor-chefe sucesso nas suas maquinações? *

Por favor, passe isto adiante, se você não estiver muito OCUPADO!

22 agosto 2010

A morte de cada dia



Num artigo muito interessante, Paulo Angelim, que é arquiteto, pós-graduado em Marketing, dizia mais ou menos o seguinte:

"Nós estamos acostumados a ligar a palavra morte apenas à ausência de vida e isso é um erro.
Existem outros tipos de morte e precisamos morrer todo dia. A morte nada mais é do que uma passagem, uma transformação. Não existe planta sem a morte da semente, não existe embrião sem a morte do óvulo e do esperma, não existe borboleta sem a morte da lagarta, isso é óbvio!

A morte nada mais é do que o ponto de partida para o início de algo novo.
"É a fronteira entre o passado e o futuro..." Se você quer ser um bom universitário, mate dentro de você o secundarista aéreo que acha que ainda tem muito tempo pela frente.

Quer ser um bom profissional? Então mate dentro de você o universitário descomprometido que acha que a vida se resume a estudar só o suficiente para fazer as provas.

Quer ter um bom relacionamento? Então mate dentro de você o jovem inseguro, ciumento, crítico, exigente, imaturo, egoísta ou o solteiro solto que pensa poder fazer planos sozinho, sem ter que dividir espaços, projetos e tempo com mais ninguém.

Quer ter boas amizades? Então mate dentro de si a pessoa insatisfeita ou descompromissada, que só pensa em si mesmo. Mate a vontade de tentar manipular as pessoas de acordo com a sua conveniência.

Respeite seus amigos, colegas de trabalho, vizinhos. Enfim, todo processo de evolução exige que matemos o nosso "eu" passado, inferior.

E, qual o risco de não agirmos assim?

O risco está em tentarmos ser duas pessoas ao mesmo tempo, perdendo o nosso foco, comprometendo essa produtividade, e, por fim, prejudicando nosso sucesso.

Muitas pessoas não evoluem porque ficam se agarrando ao que eram, não se projetam para o que serão ou desejam ser. Elas querem a nova etapa, sem abrir mão da forma como pensavam ou como agiam. Acabam se transformando em projetos acabados, híbridos, "adultos infantilizados".

Podemos até agir, às vezes, como meninos, de tal forma que não matemos as virtudes de criança que também são necessárias a nós, adultos, como: brincadeira, sorriso fácil, vitalidade, criatividade, tolerância etc.

Mas, se quisermos ser adultos, devemos necessariamente matar atitudes infantis, para passarmos a agir como ADULTOS.

Quer ser alguém (líder, profissional, pai ou mãe, cidadão ou cidadã,(Amigo ou amiga) melhor e mais evoluído? Então, o que você precisa matar em si, ainda hoje, é o ''egoísmo'' e o ''egocentrismo'', para que nasça o SER que você tanto deseja ser!

Pense nisso e morra!

Mas,não esqueça de nascer melhor ainda!"

19 agosto 2010

James Van Praagh - O Homem que conversava com os Espíritos


"James Van Praagh tem mudado a vida de muitas pessoas, livrando-as do medo da morte e trazendo alento ao sofrimento de pais ao transmitir mensagens de seus filhos falecidos. É impossível não se emocionar."
Revista Newsweek

James Van Praagh é considerado um dos médiuns mais conhecidos da atualidade. Embora os sensitivos norte-americanos desconheçam, em sua maioria, a Doutrina Espírita como ensinada por Allan Kardec, Van Praagh é considerado o que mais se aproxima da religiosidade que os brasileiros têm em relação à espiritualidade. Através de livros e de um programa de televisão, onde manteria contato imediato com entes queridos de membros da platéia, ele tem ajudado e transformado a vida de pessoas que perderam seus seres amados. A história da descoberta e do desenvolvimento de sua mediunidade está contada no livro "Conversando com os Espíritos".

Aqueles que comparecem a seus workshops e palestras se observam a naturalidade como os espíritos se comunicam através dele, fornecendo detalhes precisos que confirmam sua presença, e mandando mensagens de amor e esperança consoladoras. Para orientar pessoas em suas buscas espirituais, Van Praagh publicou livros e um CD de meditação, lançados no Brasil pela Editora Sextante.

Ele já visitou o Brasil diversas vezes, fazendo palestras e workshops sobre o seu trabalho. Em seu livro "O Despertar da Intuição", ele afirma que todos nós somos médiuns potenciais. Segundo ele, precisamos apenas abrir nossos corações para podermos receber a ajuda constante de anjos da guarda, guias e protetores espirituais. Segundo diz : "Todos nós somos seres intuitivos porque nascemos com uma sabedoria inerente, um dom que Deus nos deu. Por exemplo, todos nós já tivemos a experiência de pensar em uma pessoa e, cinco minutos depois, ela telefonar. Quando você descobre esta capacidade, pode aprender a usar este dom de muitas formas, inclusive para fazer escolhas no dia-a-dia. Quanto melhor você se conhece, mais fácil fica compreender o mundo e viver".

O autor garante que homens e mulheres têm a mesma capacidade de desenvolver seu poder mediúnico. E, embora seja mais fácil captar sinais para outras pessoas, ele acredita que todos podem aprender a ouvir a própria intuição e prestar atenção a ela.

14 agosto 2010

Dr. Inácio Ferreira



Abro espaço para uma simples homenagem a alguém a quem aprendi a admirar e respeitar, através de seus livros, psicografados por Carlos Bacelli.
Gostaria muito de te-lo conhecido pessoalmente; em seus derradeiros anos, eu ainda cursava Medicina, em Uberaba...
Observou e estudou, sem idéia preconcebida, os diferentes fatos neuropsíquicos relacionados com os enfermos internados no Sanatório Espírita de Uberaba, do qual seria diretor-clínico por mais de cinco décadas, tendo verificado a eficácia da terapia espírita para a cura de distúrbios mentais e/ou obsessivos.
Dr. Inácio Ferreira - médico espírita, uberabense, homem de hábitos simples, transparente e direto, dono de um estilo próprio e cativante, cujos pensamentos muito se assemelham ao meu modo de ver e pensar sobre a vida, sobre ser verdadeiramente médico e espírita e sobre o que estamos fazendo neste planeta azul...agora me pego buscando incessantemente respostas através de seus livros...
Dr. Inácio, um grande abraço!

A vida se faz nas marcas



[...]Vivemos numa época que não quer ser marcada.
A maioria de nós tenta escapar das rugas, estas cicatrizes do rosto, de todas as formas - algumas delas bem violentas.

Os sinais da idade, da vida vivida, são interpretados como algo alienígena, estranho a nós. Estão ali, mas não deveriam estar. É quase uma traição. Urge então apagá-las.

É tamanho o nosso medo da velhice e da morte, que as marcas da vida vivida são decodificadas como feias, quase repugnantes. Tanto que estamos diante de uma novidade - as primeiras gerações de seres humanos envelhecendo e morrendo com os sinais não da idade, mas das cirurgias plásticas. Sim, porque estas também são cicatrizes.

Não há jeito de morrer sem marcas porque não há como viver sem ser marcado pela vida.
Mesmo os bebês, que por alguma razão morrem ao nascer, já trazem no corpo a marca fundadora - o corte do cordão umbilical que lhes arrancou de dentro da mãe. O umbigo é nossa primeira cicatriz, aquela que nos unifica.

Se a tecnologia conseguir inventar um ser humano sem marcas é porque desinventou o ser humano.

Podemos talvez um dia apagar todas as marcas visíveis, tatuadas no corpo. Mas nunca haverá uma cirurgia capaz de eliminar as marcas da alma.
E esta é também uma tentativa que temos empreendido com muito empenho. Por um excesso de psicologês, uma leitura transtornada do pensamento de Freud, passamos a achar que tudo é terrivelmente traumático.

Qualquer contrariedade ou vivência não programada supostamente estigmatizaria nossos filhos e aniquilaria seu futuro. Qualquer derrapada no script de nossos dias nos assinala como catástrofe. Parece que viver se tornou uma experiência por demais traumática para quase todos - e, se assim é, a única solução seria não viver. Mas a questão não é o trauma - e sim o que cada um faz com ele.[...]
(Eliane Brum)

13 agosto 2010

13 de agosto - Dia do Canhoto



Para uma parte das pessoas, escolher qual mão estender para cumprimentar alguém não é automático. Ao contrário dos destros, que são 90% da população mundial, os canhotos - os 10% restantes - diariamente se adaptam a um mundo (e a tesouras e abridores de latas) que não foi feito exatamente para eles e precisam oferecer a mão direita ao invés da esquerda, pois essa é a convenção social.

Para lembrar dessas pequenas dificuldades diárias, a Left-Handers Internacional (uma associação de canhotos em Topeka, nos Estados Unidos, hoje já extinta) instituiu, na década de 70, o dia Internacional dos Canhotos em 13 de agosto.

O porquê da escolha do dia não se sabe ao certo. Mas a data é por si só sinistra (outra palavra usada para designar um canhoto e que significa funesto e pernicioso, segundo o dicionário), já que 13 sempre foi considerado número de azar e agosto é o mês oficial do mau-agouro. Isso sinaliza um pouco dos problemas que canhotos tiveram no passado e ainda têm em algumas culturas.
(Homenagem ao um canhotinho que tenho aqui em casa - meu filho Renan)

11 agosto 2010

Espera



Horas, horas sem fim,
pesadas, fundas,
esperarei por ti
até que todas as coisas sejam mudas.

Até que uma pedra irrompa
e floresça.
Até que um pássaro me saia da garganta
e no silêncio desapareça.
(Eugénio de Andrade)

Confiem ao vento



"Confiem ao vento as cinzas dos que tentam em vão ressuscitar.

Espalhem pelo mundo esse pó e deixem-no voar por si só, ao colo das brisas que carreguem para o infinito esse sonho proscrito que apenas adormeceu.

Libertem a utopia e não lhe chorem o fim, pois dentro de mim a Primavera acontece a toda a hora numa redoma intocável junto à nascente inesgotável de fantasias e de ilusões onde as mortes são renovações e todos os ciclos se perpetuam. Nas vossas também.

E testemunhem em silêncio o bailado da poeira desenhado no céu e aceitem esta maneira peculiar de percorrer a vida com o olhar de quem acredita na reencarnação da mais bela emoção de qualquer existência, nada mais.

Tomem consciência da imortalidade garantida na ressaca da dor mais profunda que apenas marca uma nova etapa do amor que se reproduz, infindo. Que renasce para o mundo, inevitável, como a constante maravilha que surge a cada dia quando brilha no horizonte, de novo, um sol.

Assistam ao renascimento da luz nesse momento de simples transição, de constante renovação da esperança justificada. E não percam a confiança nesse amigo que nos sopra ao ouvido a certeza de que conhece bem a estrada a percorrer pelas cinzas que transporta para outra dimensão.
Nunca se despeçam dos dias que anoiteçam, sorriam-lhes apenas e sussurrem um “até já” e acolham as estrelas mais a lua refletida no vosso olhar agradecido.

A beleza para observar a todo o tempo que se tem e se ignora esquecido quando nos entregamos à ingratidão injustificada.

A vida que nos é dada como uma oferenda milagrosa, o desabrochar de uma rosa plantada por um deus ou outra entidade superior a quem foi confiada a missão de cuidar deste jardim suspenso.

E o amor é tão intenso que não consegue morrer mas apenas transitar, como a alma, para novos paradeiros nos instantes derradeiros de uma calma mudança, a eterna renascença do fogo fátuo embutido em cada um.

Eu não consigo abandonar esta vontade de amar sem freio algum.
Enquanto sopro em vão esta cinza teimosa na palma da minha mão."

Clarice Lispector


Porque eu fazia do amor um cálculo matemático errado: pensava que, somando as compreensões, eu amava.
Não sabia que, somando as incompreensões é que se ama verdadeiramente.
Porque eu, só por ter tido carinho, pensei que amar fosse fácil.
(Clarice Lispector)

08 agosto 2010

Santa Clara, clareai


Santa Clara, clareai
Estes ares.
Dai-nos ventos regulares,
de feição.
Estes mares, estes ares
Clareai.


Santa Clara, dai-nos sol.
Se baixar a cerração,
Alumiai
Meus olhos na cerração.
Estes montes e horizontes
Clareai.


Santa Clara, no mau tempo
Sustentai
Nossas asas.
A salvo de árvores, casas,
E penedos, nossas asas
Governai.
(Manuel Bandeira)

06 agosto 2010

01 agosto 2010

Kardec e as crianças


De fato, ponderai que nos vossos lares nascem possivelmente crianças cujos Espíritos vêm de mundos onde contraíram hábitos diferentes dos vossos e dizei-me como poderiam esses seres estar no vosso meio, trazendo paixões diversas das que nutris ou inclinações e gostos, inteiramente opostos aos vossos. Como poderiam incorporar-se entre vós, sem ser como Deus o determinou, ou seja, passando pelo crivo da infância?
(Allan Kardec)

Os Fenômenos Paranormais do Filme Sexto Sentido


Vários fenômenos paranormais podem ser percebidos ao longo do filme. Veja as definições deles, segundo o Diccionario de Parapsicología, de Werner Bonin (Alianza Editorial).

-Clauriaudiência
Capacidade de ouvir vozes mediante mecanismos paranormais. Percepção extra-sensorial auditiva. É importante não confundi-la com alterações mentais ou psicopatológicas.
– Cole escuta: "De profundis clamo et domine" (Das profundezas eu te chamo, ó Senhor!). O menino jamais tinha lido latim ou escutado algo nesse idioma. Além disso, alguns fantasmas falam, outros se comunicam apenas por sinais.

-Poltergeist
Movimentos e deslocamento de objetos de forma anômala.
– Enquanto o menino toma café da manhã na cozinha, sozinho, sua mãe descobre que, em poucos segundos, quase todos as gavetas e portas do armário estavam abertas, sem provocar o menor ruído.

-Aparições
Percepção visual de um fantasma, muitas vezes acompanhada de sensações táteis e auditivas.
– Todas as cenas em que Cole vê os mortos são exemplos claros de aparições. Fica claro que eles não sabem que morreram, exceto a menina que lhe entrega a fita de vídeo que mostra sua própria morte.

-Psicofotografias
Efeitos anômalos em fotografias e filmes.
– A mãe de Cole nota que em todas as fotos penduradas na parede surgem pequenas luzes próximas da criança, como vagalumes.

-Psicografias
Escritos que se obtêm de um médium – normalmente em transe – proveniente de entidades desencarnadas.
– A mãe de Cole também percebe que seu filho guardava textos com sua letra, dizendo: "Calem o maldito bebê ou o corto em pedaços".

-Retrocognição
Percepção extra-sensorial de eventos que ocorreram no passado.
– Na escola, o menino diz a seu professor que o prédio da escola não foi um tribunal de justiça, como todos pensam, mas o local em que se enforcavam os réus, no século 16.

-Telepatia
Transferência de pensamentos entre duas ou mais pessoas.
– Na seqüência da mesma cena, Cole diz a seu professor – aos gritos – como seus colegas de escola zombavam dele, chamando-o "o gago Stanley". O efeito emocional que essa declaração provoca é tamanho que o professor começa a gaguejar.

-Psicometria
Percepção paranormal, visual ou auditiva, utilizando um objeto como indutor.
– Pode-se interpretar a cena em que Cole vê os enforcados de sua escola como uma percepção extra-sensorial das antigas execuções realizadas no prédio.

-Paratermogênese
Queda ou aumento brusco da temperatura por mecanismos paranormais.
– Cole vai ao banheiro, à noite, e o termômetro mostra uma queda súbita da temperatura, sempre que os fantasmas aparecem.

-Psicofonia
Captação de vozes ou sons de origem paranormal em equipamentos eletromagnéticos.
– O psicólogo aumenta o volume de seu gravador e descobre um diálogo – quase imperceptível – entre duas pessoas que não estavam presentes quando ele conversava com seu paciente.

-Clarividência
Percepção extra-sensorial de um evento ou um lugar distante.
– Cole confessa à mãe que a avó tinha presenciado secretamente a filha no dia em que ela estreou no teatro. A mãe do menino jamais soube disso, mas isso a convence de um contato espiritual legítimo entre Cole e a avó.

-Ataques Espirituais
Golpes, feridas ou lesões produzidas por ação violenta de seres desencarnados.
– Cole é atacado por um dos fantasmas agressores, quando dois colegas de escola o trancam durante a festa de aniversário.

-Aporte
Aparição ou desaparecimento paranormal de um objeto.
– A mãe de Cole não encontra um pendente que a avó lhe havia deixado e acusa o menino de tê-lo feito desaparecer.

-Psi em Animais
Percepção extra-sensorial em animais.
(extraído de texto de Alejandro Parra)

Obsessão, Medicina e Espiritismo



A Obsessão Espiritual como doença da Alma, já é reconhecida pela Medicina.

Em artigos anteriores, escrevi que a Obsessão espiritual, na qualidade de doença da alma, ainda não era catalogada nos compêndios da Medicina, por esta se estruturar numa visão cartesiana, puramente organicista do ser e, com isso, não levava em consideração a existência da alma, do espírito.

No entanto, quero retificar, atualizar os leitores de meus artigos essa informação, pois desde 1998, a Organização Mundial da Saúde (OMS) incluiu o bem-estar espiritual como uma das definições de saúde, ao lado do aspecto físico, mental e social.

Antes, a OMS definia saúde como o estado de completo bem-estar biológico, psicológico e social do ser humano e desconsiderava o bem estar espiritual, isto é, o sofrimento da alma; tinha, portanto, uma visão reducionista, organicista da natureza humana, não a vendo em sua totalidade: mente corpo e espírito.

Mas, após a data mencionada acima, ela passou a definir saúde como o estado de completo bem-estar do ser humano integral: biológico, psicológico e espiritual. Desta forma, a Obsessão espiritual oficialmente passou a ser conhecida na Medicina como possessão e estado de transe, que é um item do CID -O Código Internacional de Doenças- que permite o diagnóstico da interferência espiritual obsessora.

O CID 10, item F.44.3 - define estado de transe e possessão como a perda transitória da identidade com manutenção de consciência do meio-ambiente, fazendo a distinção entre os normais, ou seja, os que acontecem por incorporação ou atuação dos espíritos, dos que são patológicos, provocados por doença. Os casos, por exemplo, em que a pessoa entra em transe durante os cultos religiosos e sessões mediúnicas não são considerados doença. Neste aspecto, a alucinação é um sintoma que pode surgir tanto nos transtornos mentais psiquiátricos -nesse caso, seria uma doença, um transtorno dissociativo psicótico ou o que popularmente se chama de loucura- bem como na interferência de um ser desencarnado , a Obsessão espiritual.

Portanto, a Psiquiatria já faz a distinção entre o estado de transe normal e o dos psicóticos que seriam anormais ou doentios. O manual de estatística de desordens mentais da Associação Americana de Psiquiatria - DSM IV - alerta que o médico deve tomar cuidado para não diagnosticar de forma equivocada como alucinação ou psicose, casos de pessoas de determinadas comunidades religiosas que dizem ver ou ouvir espíritos de pessoas mortas, porque isso pode não significar uma alucinação ou loucura.

Na Faculdade de Medicina da USP, o Dr. Sérgio Felipe de Oliveira, médico, coordena a cadeira (hoje obrigatória) de Medicina e Espiritualidade.
Na Psicologia, Carl Gustav Jung, discípulo de Freud, estudou o caso de uma médium que recebia espíritos por incorporação nas sessões espíritas.
Na prática, embora o Código Internacional de Doenças (CID) seja conhecido no mundo todo, lamentavelmente o que se percebe ainda é muitos médicos rotularem todas as pessoas que dizem ouvir vozes ou ver espíritos como psicóticas e tratam-nas com medicamentos pesados pelo resto de suas vidas.

Em minha prática clínica,( também praticada por Ian Stevenson) a grande maioria dos pacientes, são rotulados pelos psiquiatras de "psicóticos" por ouvirem vozes (clariaudiência) ou verem espíritos (clarividência), na verdade, são médiuns com desequilíbrio mediúnico e não com um desequilíbrio mental, psiquiátrico. (Muitos desses pacientes poderiam se curar a partir do momento que tivermos uma Medicina que leva em consideração o ser integral).

Portanto, a obsessão espiritual como uma enfermidade da alma, merece ser estudada de forma séria e aprofundada para que possamos melhorar a qualidade de vida do enfermo.
(Osvaldo Shimoda)

Somos todos médiuns


Quem é médium o é sempre, e não apenas no instante em que o fenômeno esta acontecendo, embora seja no exato momento do transe que a mediunidade alcança o seu ápice.

A mediunidade pode ser observada ostensivamente, quando, por exemplo, o médium incorpora, psicografa, transmite o passe, libera ectoplasma, pinta sob a influência dos espíritos... Entretanto, a mediunidade, no cotidiano, manifesta-se discretamente, ao ponto de o próprio médium não perceber que esteja agindo como instrumento.

Dificilmente o médium precisará com nitidez quando estará sendo intuído ou inspirado a dizer palavras ou tomar atitudes que mudem o rumo dos acontecimentos dos quais participe.

Citemos um fato corriqueiro como exemplo. Numa simples conversação, ,o médium poderá dizer uma palavra que clareie as decisões que o seu interlocutor tenha que tomar. Imaginemos um médico indeciso sobre o diagnóstico de um paciente...

Em conversa com um médium, às vezes completamente alheio ao caso, os espíritos poderão inspirar o sensitivo no sentido de que a mente do médico se abra para o diagnóstico preciso, salvando vidas e evitando cirurgias de risco já programadas.

Quem procura sintonia com o Mais Alto através da oração e do dever retamente cumprido será sempre uma antena captando mensagens de elevado teor e retransmitindo-as através da palavra, imperceptivelmente.

A mediunidade ostensiva e declarada não é a única maneira de exercer-se a mediunidade.

A mãe é médium quando antecipa-se como seus conselhos aos problemas do filho; o pai é médium quando poupa recursos que pressentem necessários no futuro; o filho é médium quando protegem os pais de uma queda dentro de casa; o amigo é médium quando alerta alguém acerca da necessária revisão nos freios do automóvel, antes da viagem prevista; o vizinho é médium quando se refere a uma árvore prestes a desabar no quintal ao lado...

Há quem imagine que o seu compromisso com a mediunidade seja apenas naquele dia determinado e naqueles poucos minutos semanais em que passa ao redor de uma mesa de sessões.

Não terão sido médiuns Einstein, Thomas Édison, Pasteur, Gandhi, Florence Nigthingale e tantos outros gênios e benfeitores da humanidade?!

Não será médium o pastor anônimo e bem intencionado que prepara o seu sermão para a comunidade dos fiéis?!

Não será médium o legislador que se debruça sobre as leis dos homens, estudando um meio de adequá-las às Leis de Deus?!

Não será médium o cientista que no silêncio dos laboratórios pesquisa, por exemplo, a cura da AIDS?!

Não será médium o professor que atina com o problema emocional que angustia um de seus alunos, interferindo negativamente no seu aproveitamento escolar?!

Não será médium o lavrador que pressente a hora de lançar a semente ao solo para a sonhada colheita?!...

De fato o homem é portador de livre-arbítrio e a decisão final em suas atitudes sempre lhe cabe, entretanto não deve ignorar que o Mundo Espiritual e o Mundo Físico se interpenetram e interagem e que a comunidade dos espíritos desencarnados faz parte da comunidade dos encarnados, onde continua tendo interesses comuns aos homens.

Não exageraríamos se disséssemos que tudo é mediunidade, tanto na Terra quanto nos Céu!

O Pensamento Divino, até chegar ao homem, passa, por assim dizer, por dezenas de cérebros... Para que esse pensamento chegasse a nós sem distorções é que Jesus corporificou-se no planeta e trouxe-nos o Verbo Divino que identificava-se plenamente com a sua Palavra.

Anteriormente, os profetas, portadores da Palavra de Deus, sujeitaram-na à cultura social e religiosa a que pertenciam, regionalizando o que era universal.

Por isto, em essência, O Espiritismo identifica-se com tosas as religiões e filosofias que vão desde as ramificações do Cristianismo às que pregam a reencarnação, a lei do carma e a comunicação com os chamados mortos.

Tendo sido codificada na França, a Doutrina Espírita é universal, porque a Verdade, em todos os idiomas, é sempre a mesma em toda parte.
(Carlos A. Bacelli / Odilon Fernandes)