"Nós não somos seres humanos tendo uma experiência espiritual. Somos seres espirituais tendo uma experiência humana"

(Teillard de Chardin)

29 setembro 2010

Novo filme de CLINT EASTWOOD fala de vida após a morte



A onda de filmes com temática espiritualista não se limita ao Brasil. 
O novo filme do diretor Clint Eastwood, "Hereafter" (numa tradução livre, "A Outra Vida") estréia no Brasil no dia 11 de fevereiro de 2011, e traz uma velha indagação: "Há vida depois da morte?". 
Três pessoas - um garoto de Londres, uma jornalista americana e uma mulher francesa em Paris - são assombrados pela mortalidade de formas diferentes. Seus destinos se unem a um operário americano (papel de Matt Damon), que é medium, mas abandonou esse dom.
No outro lado do mundo, Marie (Cécile de França), um jornalista francês, tem uma experiência de quase-morte que sacode a realidade. E quando Marcus (Frankie / George McLaren), um estudante em Londres, perde a pessoa muito próxima, ele precisa desesperadamente respostas. Cada um caminha em busca da verdade, mas suas vidas irão se cruzar, mudando para sempre aquilo que eles acreditam pode ou deve existir além da vida.

Trata-se, como descreveu a imprensa norte-americana, de um "thriller" sobrenatural "na linha de O Sexto Sentido". Segundo o roteirista Peter Morgan, "é um material bastante espiritual, e muito romântico também. É o tipo de argumento que não é fácil de descrever e nas mãos de cineastas diferentes pode acabar filmes como muito diferentes". Já o diretor Clint Eastwood disse à que "é um filme que conta três histórias de pessoas que tiveram experiências traumáticas em sua vida [...] e como essas histórias convergem para o mistério da vida".

Sobre suas convicções sobre a vida além da morte, Eastwood disse recentemente que "há muitas pessoas que atacam a crença das pessoas que há alguma outra vida e a humanidade não parece estar disposta a aceitar que esta é sua 'única vida' e você deve fazer o melhor que você pode.Alguns creem que tem que haver a imortalidade ou a vida eterna, adotando uma visão religiosa. Eu não tenho a resposta. Talvez haja um futuro, mas eu não sei, então eu abordei o tema justamente por ignorar a resposta".