"Nós não somos seres humanos tendo uma experiência espiritual. Somos seres espirituais tendo uma experiência humana"

(Teillard de Chardin)

25 agosto 2011

Passaporte para renascer




Os preparativos

Nas vizinhanças da capital mineira existe uma colônia na
espiritualidade onde se abriga um grupo de candidatos ao renascimento. 

Já se vão 3 exaustivos anos de cursos, terapia comportamental,
revisão de vidas passadas, opções de datas, escolha de familiares sintonizados com o projeto de cada interessado. É preciso ajustar a possibilidade de doenças inesperadas, acidentes imprevistos e recursos financeiros.

De uma forma ou de outra, o períspirito de cada um deles traz as sequelas de abusos de encarnações mal aproveitadas e tudo isso é conta no passivo que vai exigir reajuste.

O trabalho psicológico é intenso. Para todos, é necessário dominar os medos, lutar para vencer os sentimentos de culpa, repetir lições para não caírem nos mesmos desatinos e se firmarem o mais cedo possível nas orientações de Jesus.

Praticamente todos terão, de um jeito ou de outro, a oportunidade de conhecerem a Doutrina Espirita.


A pré-seleção

Saulo Lins, Espírito nobre, esboçando extrema serenidade, irá entrevistar a cada um deles, ouvindo pedidos e promessas


Os candidatos:

Terezinha Aguiar

Foi bailarina em casa noturna, sofrendo humilhações e abusos. Agora pede para nascer na pobreza do interior da Bahia, onde implora a possibilidade de ser uma simples lavadeira, daquelas que se ajoelham na barranca dos rios lavando a roupa da família

Agenor Mariano

Foi farmacêutico humilde na periferia da cidade e, agora, terá a oportunidade de ser sanitarista na capital mineira. Expõe a Saulo os seus temores, seus medos, sua insegurança e pede ao dirigente um pouco mais de prazo para se preparar melhor. Voltar a Terra enfrentando seus desafios é sempre uma temeridade mesmo para os que reprogramam cautelosamente sua reencarnação.

Consuelo Linhares

Está aflitíssima, reclama que não suportará de novo aquele monte de filhos. Afinal, foram eles que não permitiram que ela tivesse uma vida melhor na capital mineira. Sempre a condenaram por tê-los deixado com as avós e, não suportaria cuidar de crianças outra vez

Marta Constantino de Jesus

Exige pressa - afinal o esposo já reencarnou e ele não vive sem ela - sempre quem cuidou de tudo foi ela – exige uma definição mais clara de quem será sua família – não suportaria a pobreza

Jovina Cortez

Também tem pressa – as dores no peito incomodam, as pernas que não obedecem, a cabeça sempre atordoada, acorda em sobressaltos – quem sabe um novo corpo a livra de tanta doença. Não sabe como vai se virar sem escravos e pagar empregados sem garantia de recursos financeiros é praticamente impossível.

Cláudio José Lobo

Foi sacerdote na ultima encarnação envolvendo-se gravemente em ligações amorosas. Hoje pede para ser encaminhado à instituição onde possa aprender com a orfandade a valorizar a família.

José Barroso Coelho

Comprometido com o alcoolismo solicita a oportunidade de resgate numa enfermaria onde desde criança padeça atrás de um transplante de fígado

Manoel Francoso

Sem controle, embriagado, fez várias vítimas num atropelamento, vindo a falecer entre as ferragens do caminhão que dirigia. Implora para nascer cego com a possibilidade de trabalhar como fisioterapeuta entre paralíticos


Lição de casa

Anotando o pedido de cada um, Saulo, ergue-se e pronuncia a palavras do Mestre:

“Quem quiser vir até a Mim, tome de tua cruz e siga-Me”

(Nubor Orlando Facure)