"Nós não somos seres humanos tendo uma experiência espiritual. Somos seres espirituais tendo uma experiência humana"

(Teillard de Chardin)

02 abril 2012

Serena Resignação


Pai, quando me destes nova existência na Terra, aceitei-a confiante e, disposto a recomeçar e a reconstruir, brindei-a com sorrisos de inocência e meus braços estendidos, eram desejo e boa vontade em refazer laços para desfazer algemas...

O tempo passou e tão pouco foi possível realizar!

Meu sorriso hoje, Senhor, é tímido e não mais inocente; e meus braços... já não os estendo, com medo de vê-los retornando vazios!

A vida é escola dura para com nossos sonhos, e o tempo é mestre exigente que cobra as lições com rigor, a fim de melhor conferir nosso aproveitamento!...

Trouxe comigo grandes ideais, eu o sei, mas hoje eis-me aqui de coração entristecido, consciente de que foi possível fazer muito pouco, de conquistar quase nada...

No entanto, meu Pai, peço-lhe não deixe que a melancolia e a mágoa entorpeçam meu entendimento, impedindo-me de perceber que, se hoje o fracasso permeia os meus melhores projetos, adiando esperanças e realizações, mais tarde ou em nova existência me darás outras oportunidades, tão mais felizes e valiosas quanto mais eu souber manter em minha alma serena resignação perante o que eu não posso mais modificar...

Se hoje é tempo de chorar e baixar os olhos, amanhã será tempo de sorrir confiante, porque Tua Sábia Justiça, Senhor, ordena que se dê àquele que já tem e se retire tudo do que parece até mesmo mais nada possuir!

Quero, através da resignação, conquistar a paz, a compreensão e o entendimento!

Desejo, através da serenidade, adquirir sabedoria, madureza de espírito, capacidade de ver para melhor discernir!...

Não me deixe, Senhor, partir do mundo empobrecido, derrotado pela minha desilusão!

Pelo contrário, mostra-me que, se hoje colho derrotas e decepções, se me vejo impedido de crescer e realizar, se não tenho para quem sorrir ou a quem abraçar, amanhã, em novo tempo ao meu espírito, Tu farás suscitar pessoas e oportunidades que me trarão de volta ao coração a alegria e a fé, e que secarão, com ternura, as sofridas lágrimas que verto hoje.

Assim seja!

(Psicografada em reunião do Instituto André Luiz, em 01.02.2003)