"Nós não somos seres humanos tendo uma experiência espiritual. Somos seres espirituais tendo uma experiência humana"

(Teillard de Chardin)

24 maio 2012

A oração que Deus ouve...


Por que temos às vezes a impressão que a oração não passa do teto da casa?

Por que tantas palavras parecem inúteis ou imensos gritos mudos, onde a resposta fica em algum lugar, mas sempre distante daquele que estamos?

Não é a quantidade de palavras que usamos, nem o tempo que passamos de joelhos que torna nossa oração mais verdadeira, ou mais acessível a Deus.

Deus não vê palavras bonitas, não se interessa por vocabulários ricos e citações difíceis.

Ele ouve o coração.

O que a boca diz, o que a mente recita podem ser meros desejos humanos e, por  essa mesma razão, não passam dessa esfera em que nos encontramos.

Nossa ansiedade e urgência por respostas colocam barreiras entre Deus e nós.

Pedimos o que queremos e perdemos a humildade de aceitar o que Ele tem para nos oferecer, se isso vai de encontro ao que desejamos.

Oração é petição, mas nosso orgulho transforma o pedido em desejo único e incontestável.

Muitas respostas que não vem são somente "nãos" que não quisemos interpretar como tal, o que torna nosso calvário mais longo, pois continuamos esperando e esperando... e carregamos no peito essa amarga sensação de que Ele não nos ouve, que nossa oração é vazia e inútil.

Mas aprendi nesse caminho que a oração que Deus ouve é aquela que vai do nosso coração ao Seu coração.

Ela não vai a Deus, mas O traz a nós, o que faz uma grande diferença para nosso crescimento espiritual e pessoal.

Assim nosso coração aceita que talvez tenhamos nos enganado de caminho, como tantas vezes nos enganamos na vida, mas que Deus, na Sua infinita sabedoria soube agir por nós.

( Letícia Thompson)

*  *  *