"Nós não somos seres humanos tendo uma experiência espiritual. Somos seres espirituais tendo uma experiência humana"

(Teillard de Chardin)

12 setembro 2012

Dia seguinte



Eu era bem jovem.

Contava com 25 anos, recém formado advogado, pais ricos, casamento marcado.

Minha noiva era linda, rica como eu, inteligente.

Seria uma ótima dona de casa e uma ótima mãe. Seria e foi, só que com outra pessoa.

Pois é. Eu não pude ir ao meu casamento.

Na verdade, faltei ao meu próprio casamento e não dei nenhuma explicação. Afinal, naquele dia eu simplesmente não acordei.

Depois de uma bela festa de despedida de solteiro, ótima mas sem excessos, fui dormir feliz e ansioso pelo casamento que seria no dia seguinte.

Ao amanhecer, levantei-me de pronto, sentindo-me extremamente leve. Demorei um pouco para perceber que eu acordei, mas meu corpo não.

Fiquei horas ali parado, sem saber o que fazer, observando meu corpo que aparentemente ainda dormia. Foi um choque quando minha mãe estranhou e veio me chamar.

Fiquei com raiva por muitos anos. Raiva que só fez aumentar quando minha noiva conheceu outra pessoa.

Demorei a deixa-la em paz e entender que eu devia seguir adiante. Isto só aconteceu quando ela desencarnou e me ajudou a deixar o umbral. 

Esta é uma história que vou contar depois...


Alcides.


(Psicografado por: Cleber P. Campos)




*  *  *