"Nós não somos seres humanos tendo uma experiência espiritual. Somos seres espirituais tendo uma experiência humana"

(Teillard de Chardin)

25 outubro 2012

Carta às mães que choram




Hoje venho para falar às mães.

Esses seres especiais a que foi dado o dom da vida e mais: de cuidar e colocar essas vidas em com caminho.

Mãe ! Anjo! Não há diferença alguma entre os dois seres, pois o que se compara é a bondade, o amor, os cuidados despendidos a favor de outra criatura.

Mães são anjos mesmo no reino animal, pois lá cuidam e zelam por seus filhotes com amor desinteressado, preparando-os para a vida humana ou selvagem.

Aí surgem os questionamentos sobre aqueles seres que desprezam seus filhos ou mesmo conseguem atentar-lhe contra a vida. Dessas ‘mães’ não falaremos, deixamos que as vidas sucessivas façam-nas evoluir a ponto de ao menos serem boas mães.

Aquelas que sofrem por seus filhos, que choram por suas derrotas e sentem-se totalmente vulneráveis com sua perda, merecem nossa atenção.

Ah! A estas mães, em especial, rogo a Deus por clemência e misericórdia, para que consigam superar a dor da perda, para que seus corações se acalmem e haja alguma faísca de esperança para continuarem neste mundo sem o que para elas é o mais importante: seus filhos.

Não há dor maior, isso é sabido, mas às vezes, muitas vezes, é o necessário como resgate e evolução.

Que estas mães possam entender e doar parte desse amor a outros seres que necessitam dele.

Não dizemos que deve esquecer ou substituir, mas encontrar na caridade uma forma de passar o tempo e aliviar o coração.

Mães queridas que hoje estão separadas de seus filhos! Conformem-se, lutem pela própria evolução e cumpram com o acordado para que possam estar livres e disponíveis no reencontro.

O reencontro é certo, não duvidem nunca, pois Deus, nosso Pai, não nos separaria de quem amamos para sempre.

Vejamos como um intervalo, como se o tempo pausasse e, durante um filme, pudéssemos tomar uma água para, novamente mais tarde, retomarmos de onde paramos.

Mães de Antônios, de Chicos, de Marias.

Mães de todos os nomes, sejam abençoadas e amparadas pelos bons espíritos.

Que jamais lhes passe pela cabeça abandonar esta vida para um reencontro mais rápido, pois desta forma, ele ficará mais e mais distante; e a lição poderá ser dura demais.

Para as mães que desanimaram da vida, olhem para seus outros filhos, eles estão ali, também dependem de você.

Não dizemos para seguir como se nada tivesse acontecido, mas para que continuem a caminhada e terminem seu trabalho.

Amor de mãe é gigante, não tem fronteiras e por este motivo seus filhos recebem tudo o que vem de vocês. Suas alegrias, que muito ajudam, e sua tristeza, que também os atinge.

Calma, paciência e muita fé em Deus é o remédio para a perda de um filho.

Vocês não estão sozinhas, Deus está ao lado de cada uma neste caminho sinuoso e muitas vezes estreito demais. Deus nunca deixaria perecer uma mãe. Então, erga a sua cabeça, enxugue suas lágrimas e espere pelo tão esperado reencontro.

Desejo, espero e vibro muito para cada uma, para que cada ‘anjo-mãe’ encontre uma maneira, a sua maneira, para sobreviver a este fato tão triste.

Que Deus abençoe o proteja cada uma, cada coração de mãe. Um abraço fraterno.

Josué

*  *  *

Data : 02 de outubro de 2012
Local : "Casa da Prece" - Sorocaba ( SP )
Médium : S.A.O.G.





*  *  *