"Nós não somos seres humanos tendo uma experiência espiritual. Somos seres espirituais tendo uma experiência humana"

(Teillard de Chardin)

28 maio 2013

Dica de livro: Minha vida em gestação, de Abel Glaser / Espírito Caio Mário


  
Neste livro, o Espírito de Caio Mário, narra a sua trajetória reencarnatória desde antes da concepção até o momento do retorno ao mundo espiritual em sua última passagem pela Terra.

Chamando a atenção para o fato de que o Espírito, em muitos casos, mantém a consciência e guarda em sua memória os momentos pelos quais passa no útero materno.

Abaixo um pequeno trecho para nossa apreciação.

Boa leitura!

Editora O Clarim.

*

Não há maravilha maior no mundo do que a procriação da espécie.

A maternidade e a paternidade podem unir inimigos do passado sob o mesmo teto familiar, possibilitando benéficas reconciliações, na maioria dos casos.

Antigos algozes tornam-se filhos de suas vítimas e por elas são amados, advindo daí o perdão mútuo por erros do pretérito.

Ofendidos e ofensores unem-se como irmãos, filhos de um mesmo casal, para progredirem juntos na jornada material.

O núcleo familiar é o berço do renascimento do Espírito. A pureza do ato gestacional sublima o ser. O contato explosivo de amor e esperança que se constrói no exato momento da fecundação é insuperável no mundo físico.

A resplandescência da corrida do espermatozóide rumo ao seu destino - o óvulo – é a conquista do primeiro troféu da nova existência que o Espírito está abraçando.

Reproduzir a vida, por delegação de Deus, representa uma responsabilidade ímpar para cada mãe e para cada pai. 

Será que nós, encarnados, já possuímos a exata noção do que isso significa?

Será que já estamos maduros e conscientizados o suficiente para entender a real importância da maternidade e da paternidade?

Será que estamos preparados a dedicar parcela considerável de nossas vidas aos nossos filhos? 

Será que a resignação, o desprendimento e o amor já podem penetrar no coração de cada adulto no momento em que ele recebe a notícia de uma gravidez, da expectativa do recebimento de uma nova vida?

Que será do mundo material se os seus habitantes não forem capazes de perceber o significado e a essência que a Vida deposita na vida?

Qual será o rumo do planeta se os abortos não forem evitados, cessando a agressão dos homens contra um Ato Divino?

Como esperar a regeneração do orbe se não estivermos todos unidos em prol da vida no rumo ao terceiro milênio?

Essas são indagações que as linhas escritas por Caio Mário pretendem responder, trazendo-nos alento e esperança, amor e sustentação, para que consigamos entender o valor da vida e por ela estejamos prontos a lutar em todos os momentos e locais em que estivermos ao longo de nossa jornada material.


* * *