"Nós não somos seres humanos tendo uma experiência espiritual. Somos seres espirituais tendo uma experiência humana"

(Teillard de Chardin)

25 maio 2013

O pensamento e a saúde



Hoje em dia, aceita-se com naturalidade o fato de que todas as doenças nascem na mente, o que era mais difícil de se compreender no tempo de Kardec, quando ele escreveu a respeito 
em A GÊNESE.

Os pensamentos desencadeiam um tipo de energia extremamente sutil e poderosa.

E a realidade é que nossos pensamentos habituais criam saúde ou doença, dependendo de seu teor.

Um pensamento doentio não precisa ser declarado. 

Ninguém admite que criou por ato de sua vontade um AVC, um tumor, uma arteriosclerose, mas certamente alimentou pensamentos
autodestrutivos como: “Viver não vale a pena!”, “Eu sou culpado.”, “Estou cansado de viver.”, “Não tenho valor”, etc.

Quantas pessoas, no fundo, desejam e apreciam seus problemas crônicos de saúde, só para atraírem atenções e poderem sentir pena de si mesmas!

Alguém dirá que há males causados pela má alimentação, o fumo, o estresse e outros fatores externos. 

Contudo, somos nós que escolhemos alimentos inadequados, que utilizamos o fumo e que nos preocupamos em excesso com as coisas. 

Só precisaríamos descobrir que temos  uma grande  força interior, maior que a compulsão pelo fumo ou por determinados alimentos, e
que esta força nos leva a superar todas as causas de contrariedades e conduz à solução de nossos problemas: assim, viveríamos muito melhor.

Outro perguntaria: e as doenças contagiosas?

As condições para que elas se instalem também começam na mente, minando a resistência física, afetando o sistema imunológico, ou mesmo tornando-se, o indivíduo, imprudente e negligente para com o próprio organismo.

Tudo isto acontece porque vivemos sem consciência da força que estamos gerando contra nós, e de como poderíamos aproveitá-la a nossa favor, para o equilíbrio e a cura.

E as enfermidades que atingem bebês e crianças em tenra idade?

Bebês são Espíritos que escolheram as condições de vida em que nasceram, dentro de suas necessidades evolutivas, e sabendo o que faziam, antes que suas lembranças se apagassem ao assumir um novo corpo. 

Vemos, novamente aí, o pensamento a comandar a própria vida.

Afinal, os pensamentos presentes ou passados são causa de nossas experiências, e atraem efeitos para nós. 

Este mecanismo foi criado para o bem, para que pudéssemos realizar nossos melhores anseios de paz, harmonia e felicidade.

A ignorância de que ele existe nos torna bastante inconsequentes no campo de nossa vida mental no dia-a-dia, sem percebermos que geramos a desarmonia interior, a nível psíquico e físico, a partir dos pensamentos negativos em que nos demoramos.

A disciplina interna, a ligação com Deus através da prece e a manutenção de pensamentos voltados ao próprio bem e ao bem de todos, unidos a uma atividade estimulante e produtiva, resultam numa vida mais saudável e plena de satisfação interior.


(in “Força Interior”, de Rita Foelker)


*  *  *