"Nós não somos seres humanos tendo uma experiência espiritual. Somos seres espirituais tendo uma experiência humana"

(Teillard de Chardin)

25 maio 2013

O telefone só toca de lá pra cá...




Por que devemos evitar a procura incondicional por mensagens daqueles que se foram?

Muito comum ao perdermos um parente para pátria espiritual, que nós queiramos, desejemos e até mesmo venhamos a exigir que aquele espírito nos envie uma mensagem, seja por psicografia ou por outros meios.

Entretanto tal atitude nada mais é do que uma demonstração de nosso egoísmo, onde entendemos que para aliviar a nossa dor, nós merecemos receber a tal mensagem do parente ou da pessoa querida que se foi, sem sequer pensarmos em como tal pessoa está e se ela teria as mínimas condições para nos enviar tais mensagens.

Imagine como você se sentiria aflito se ao se machucar, no momento da dor, alguém quisesse que você conversasse? 

Imagine se ao se acidentar ou estando num hospital em estado de coma, alguém exigisse que você dissesse algo?

É claro que a dor daquele que pede pela mensagem é muito grande, porém não é maior ainda a dor daquele que está hospitalizado no plano espiritual e ainda percebe a sua impotência para conseguir responder ao que lhe está sendo exigido?

O mais importante não deve ser a nossa sede nem a nossa vontade saciada, mas sim a preocupação e ajuda para que aquele que se foi possa estar sendo bem assistido, amparado e socorrido pelas falanges de luz do plano espiritual.

E como podemos ajudá-lo, mesmo estando nós do lado de cá?

Em primeiro lugar que possa estar a nossa resignação e a nossa fé em Deus de que se tal situação está ocorrendo é porque necessário se faz para nosso aprendizado e evolução.

E em segundo lugar, pela prece, pela oração e emitindo boas vibrações por ele.

E finalmente, que nos lembremos de pedir pelo auxílio e nos recordemos do que Chico Xavier nos dizia, que o "telefone" não toca daqui pra lá, mas de lá pra cá.

E agindo desta forma, além de ajudarmos ao próximo e por consequência a nós mesmos, estaremos dando o primeiro passo para que diante das oportunidades e de nosso devido merecimento, quem sabe um dia aí sim venhamos de fato receber alguma mensagem ou informação daqueles que tanto amamos, seja pela psicografia, psicofonia ou até mesmo diretamente conosco por intermédio do desdobramento decorrente dos nossos momentos de sono durante a noite?

E que possamos sempre dar o nosso Graças a Deus.


(Sérgio Wanderley Soares  / pelo espírito Heráclito - 20/05/13)




*  *  *