"Nós não somos seres humanos tendo uma experiência espiritual. Somos seres espirituais tendo uma experiência humana"

(Teillard de Chardin)

17 abril 2014

Reencarnação: Vivemos antes? Viveremos depois?


Vivemos antes? Viveremos depois?

Mozart escreveu sua primeira composição aos 4 anos de idade; Paganini aos 9 anos foi aplaudido por seu virtuosismo no violino; Michel Ângelo aos 8 anos conhecia todas as técnicas de sua genial arte.

Talvez você já tenha se perguntado de onde vem os seus dons, ou o talento de seus filhos. Talentos ou dons são experiências acumuladas de outras vidas. Pode ter certeza disso.

A explicação lógica de tudo isso é a reencarnação. A reencarnação é o hálito divino que desce sobre nós.

A nossa vida está cheia de mistérios a serem desvendados. O que mais intriga o ser humano é a pergunta: quem somos? o que estamos fazendo aqui? de onde viemos e para onde vamos? A vida tem um propósito? 

Para isso, muitos cientistas têm pesquisado a nossa existência e tentam buscar explicações para certos problemas que enfrentamos no dia-a-dia, como a falta de entrosamento com entes tão próximos, como alguém de nossa família, ou então de problemas físicos, que nos causam dores, mas que não conseguimos encontrar um tratamento adequado.

A reencarnação é um dos pontos fundamentais do Espiritismo, do Hinduismo, do Jainismo, da Teosofia, do Rosacrucianismo, da filosofia platônica. (...) Existe uma passagem no Evangelho onde Jesus fala explicitamente sobre a reencarnação.

A reencarnação tem a função de proporcionar ao homem a possibilidade de progredir espiritualmente para se libertar das existências terrenas e aproximar-se do divino( espiritismo).

No hinduísmo a idéia da reencarnação está associada ao Brahman, que é o Criador de tudo o que há, a Essência superior a todas as formas de existência e que, quando reside nos seres, passa a se chamar Atman ( hinduísmo).

No Budismo, a grande causa dos renascimentos no mundo da dor é o desejo de permanência, estabilidade e individualidade do homem. E o meio de libertação é conhecer a natureza do mundo, saber que tudo que nele é ilusão e suprimir todo o desejo de seu ser.

No Lamaísmo, a lucidez é a chave para a libertação. 

No Evangelho: A vinda de Elias - "Por que dizem, pois, os escribas ser necessário que Elias venha primeiro? Então Jesus respondeu: De fato, Elias virá e restaurará todas as cousas. Eu, porém, vos declaro que Elias já veio, e não o reconheceram; antes, fizeram com ele tudo quanto quiseram. Então os discípulos entenderam que lhes falara a respeito de João Batista" ( 17, 11, 12, 13, Mateus).

Nossas almas vivenciaram várias épocas, reencarnaram em vários países e em outras dimensões.

Cada um de nós possui uma personalidade com uma estrada correspondente para viajar e um destino para atingir dentro da linha da vida.

A jornada será preenchida por relacionamentos, trabalho, desafios e obstáculos, provas e triunfos, lágrimas e sorrisos.

Cada um de nós possui também uma alma com seu próprio destino e uma estrada para seguir, estrada essa que se iniciou no passado distante e continuará por muitos séculos. 

Contudo, a alma tem um plano, um propósito para a nossa personalidade nesta vida. A intenção da alma é ajudar a personalidade a chegar ao destino que pretende.

A chave das leis divinas está no fato de que todos nós somos espíritos tendo uma experiência material.

O fato de não conseguirmos nos lembrar de uma existência anterior não é uma prova de que a vida anterior não existiu, assim como o fato de não conseguirmos nos lembrar da roupa que usamos há 1 ou 2 anos atrás, ou da comida que nos alimentamos no almoço de 2 ou 3 meses atrás. (...)

A reencarnação é a nossa ligação natural com a espiritualidade. Nascer, morrer, renascer ainda e progredir sempre é o grande desafio da alma.


(Weber Malcher)







* * *