"Nós não somos seres humanos tendo uma experiência espiritual. Somos seres espirituais tendo uma experiência humana"

(Teillard de Chardin)

09 agosto 2014

O médico que tricota gorrinhos



Em tempos em que vemos a violência obstétrica correndo solta, em que muitas mães se sentem desrespeitadas em um dos momentos mais sublimes de suas vidas – o parto de um filho, algumas histórias nos tocam, por mostrar a humanidade de quem entendeu que trazer uma criança ao mundo é um ato de extrema responsabilidade e uma grande honra.

Quando me deparei com os relatos sobre o médico norte-americano Robert Sansonetti, pensei na emoção de cada mãe por ele atendida. Imaginem vocês que ele recebe cada criança que traz ao mundo com um gorrinho! Detalhe: tricotado por ele! Não é enredo de filme, o obstetra existe de verdade!

Como presente de Natal para seus filhos, Robert comprou o livro Hat Heads, que narra a jornada de um homem e 50 gorros criados por ele para presentear seus amigos. Daí veio a ideia de começar a tricotar para os bebês que ajudava a nascer – após o primeiro presente, a reação da mãe foi de tamanho agradecimento, que ele decidiu continuar.

Nos últimos quatro anos, foram mais de 200 gorrinhos feitos com esse propósito! Cada um leva cerca de quatro horas para ser feito (e para que o obstetra dê conta da produção, acaba trabalhando entre uma consulta e outra).

O gorro que cada bebê recebe não é apenas um mimo. Ele é importante para manter a cabecinha aquecida, uma vez que o recém-nascido tende a perder muito calor após o nascimento.

Como forma de agradecimento, muitos pais entregam a Robert um novelo de lã, para que ele tenha matéria-prima para presentear novos bebês a caminho. É a corrente do bem, que o impulsiona a continuar esse trabalho tão doce.

Em seu blog ( http://drbobsbabybeanies.blogspot.com.br/ ) , o médico compartilha as fotos dos bebês e seus gorrinhos, um mais lindo do que o outro (e aí, será que algum médico brasileiro se prontifica?).


(Nívea Salgado, para o blog "Mil dicas de mãe")






* * *