"Nós não somos seres humanos tendo uma experiência espiritual. Somos seres espirituais tendo uma experiência humana"

(Teillard de Chardin)

18 fevereiro 2016

Entre o ruído e a pressa...




Caminha placidamente por entre o ruído e a pressa, e lembra-te da paz que existe no silêncio.

Tenta, na medida do possível, estar de bem com todos.

Exprime a tua verdade com tranquilidade e clareza.

Escuta quem te rodeia, inclusive as pessoas desinteressantes e incultas; também elas têm uma história para contar.

Evita gente conflituosa e agressiva que tanto mal faz ao espírito.

Se te comparares com os outros poderás tornar-te amargo ou arrogante, pois haverá sempre alguém melhor e pior que tu.

Regozija-te com as tuas conquistas e os teus projetos.

Mantém vivo o interesse pela tua carreira por mais humilde que seja; é um verdadeiro bem, nesta época de constante mudança.

Sê prudente nos teus negócios – o mundo está cheio de armadilhas. Mas não feches os olhos à virtude que existe em teu redor, nem às pessoas que defendem os seus ideais e lutam por valores mais altos – a vida está cheia de heroísmo.

Sê tu próprio. Acima de tudo, não sejas falso, nem cínico em relação ao amor que, face a tanta aridez e desencanto, se mantêm perene como uma haste de erva.

Aceita com serenidade a passagem do tempo, sabendo deixar graciosamente para trás as coisas da juventude.

Cultiva a força de espírito, para te protegeres de azares inesperados. Mas não te atormentes a imaginar o pior. Muitos medos nascem do cansaço e da solidão.

Mantém uma autodisciplina saudável mas sê benevolente contigo mesmo.

És um filho do Universo, como as árvores e as estrelas. Tens todo o direito ao teu lugar no mundo.

Poderá não ser claro para ti, mas a verdade é que o Universo está a evoluir como previsto.

É importante, assim, que estejas em paz com Deus, seja qual for a tua concepção d’Ele, e em paz com a tua alma, sejam quais forem os teus anseios e aspirações no ruidoso tumulto da vida.

Apesar de todos os enganos, dificuldades e desilusões, vivemos num mundo bonito.

Alegra-te.

Luta pela tua felicidade.



(Desiderata, 1927 - Max Hermann)



*  *  *