"Nós não somos seres humanos tendo uma experiência espiritual. Somos seres espirituais tendo uma experiência humana"

(Teillard de Chardin)

19 abril 2018

A Nova Terra e a Terra Cruz - Dra. Mônica de Medeiros



Vamos conversar sobre a Nova Terra e sobre a Terra-Cruz.

Vocês já ouviram, certamente, falar sobre universos paralelos a partir da teoria das supercordas. 

É um estudo que vale a pena fazer.

Ambas são possibilidades alimentadas por cada hominal existente no planeta Terra.

Qual prevalecerá neste universo, ainda não sei dizer, embora minha fé na força do Bem Maior me leve a crer que será a Nova Terra.

Nova Terra e Terra-Cruz são banhadas pelo mesmo sol e possuem a mesma lua. O resto difere muito.

O clima na Nova Terra é mais ameno e as estações bem definidas.

Existem abelhas, flores por todo canto, as matas e as florestas estão revividas, animais selvagens são livres e tranquilos.

Não temem o homem.

Há espécies novas, vegetais e animais.

A atmosfera é leve, não tem poluição, nem a cacofonia de hoje.

Outro dado importante é que a confusão de ondas eletromagnéticas inexiste.

As comunicações mais importantes são pessoais, mas os novos aparelhos de comunicação e registro de dados emitem ondas seguras para os cérebros.

Ainda tem tv mas em nada semelhante ao baixo nível de hoje.

O lazer é altamente recomendado e a convivência familiar considerada um bem precioso.

Afinal, as perdas foram tão intensas que os laços passaram a ser cultivados com carinho e zelo.

As pessoas preferem jornadas ao ar livre, no modo simples de viver que atingiram, após décadas de reconstrução.

Muitos já conseguem viver de prana mas a maioria ainda se alimenta de vegetais.

Nada químico entra mais nos corpos. A água é, rotineiramente, magnetizada.

Os médiuns de cura são muito frequentes, agora. 

Existem medicamentos ainda, mas de modo geral, as doenças são menos graves.

O que mais impressiona é a alegria nos olhos das pessoas.

Sem rostos franzidos, sem preocupações.

O homem aprendeu, a duras penas, viver o hoje de modo ético e fazer da fraternidade um ato institucional.

A maioria, pelo menos.

Existem os borderlines, mas como a competição é pequena, o tempo lhes dá a oportunidade de crescer.

Se não conseguem, migram ou são migrados.

A única coisa que não se pode dizer da Nova Terra é que seja monótona.

Basta entrar numa escola e deparar com antarianos, insetóides e outras raças entre os professores e alunos.

A Nova Terra é confederada e amistosa e progressista.

Mas a paz, tão dolorosamente atingida, é a bandeira deste planeta de regeneração.

Amanhã, escrevo sobre Terra-Cruz.


O o O o O


Amigos!

Ontem, escrevi sobre a Nova Terra.

Hoje, falo de seu oposto: Terra-Cruz.

Nela existe um governo único mundial.

As grandes cidades são lindas, com prédios envidraçados, carros velozes, vida noturna abundante.

As drogas, finalmente, foram liberadas, em doses controladas pelo Ministério da Saúde.

A indústria farmacêutica está mais rica que nunca, já que todos querem viver mais de 100 anos. Afinal, nada existe além da 3D.

Existem os milionários, os ricos e os pobres. Estes vivem em periferias, comem mal, não têm lazer porque sobreviver é caro.

As bebidas são a diversão ao lado dos reality shows.

Claro, não vamos nos esquecer dos jogos eletrônicos, agora, com vencedores que ganham prêmios em dinheiro.

Não se vêem animais.

A caça esportiva há muito os exterminou e os que sobraram estão em zoos e laboratórios.

E, naturalmente, há os de abate.

As escolas ensinam a história da Terra-Cruz enaltecendo o grande avanço trazido pelos draconianos que se mostram como loiros de olhos claros.

Não existem Jesus, Buda, Gandhi, Platão, Kardec, Tereza de Calcutá, Chico Xavier.

Aliás, a única religião que existe é disciplinadora, castradora e cobra doações que saem do salário de todos, diretamente.

Mas o deus deles é bastante vingativo e severo. Impera o medo.

A cultura é feita de músicas de rápido consumo, sem qualquer risco de mensagens que façam as pessoas pensar.

Os jovens têm liberdade para nada fazer. Afinal, todos sabem o que deverão seguir, dentro de suas classes sociais.

É uma população doente que consome muitos medicamentos e lota locais de atendimento.

Stress, medo, preocupação se impõe, num mundo onde não existe esperança.

Mas, mesmo aqui, existem rebeldes.

Homens e mulheres que ainda acreditam num futuro melhor.

Sua luta está longe de acabar.

Para cada membro morto ou preso, surge outro.

A rebelião quer acordar as pessoas. 

Eles acreditam que existe o Bem.

São o cupim na grande árvore da vida.



O o O o O



Amigos,

A pequena amostra da Nova Terra e da Terra-Cruz que foram dadas não visavam causar fascinação ou terror, respectivamente, como algumas pessoas superficiais acharam.

Precisamos perceber como já existem por aqui, ambas as vibrações e como nós estamos inseridos em ambas ou em apenas uma delas.

Nós criamos nossa realidade. Somos, de fato, deuses.

Claro que queremos a Nova Terra.

Mas o que estamos fazendo para que ela se concretize?

Os construtores da Terra-Cruz agem com incrível disciplina. 

São totalmente voltados para atingir seu objetivo. 

Manipulam a massa inerte com mensagens subliminares através de músicas, internet, jogos eletrônicos, mídia, palestras de asseclas conscientes ou não a que deus servem.

Mas o que estamos fazendo para evitar que eles vençam.

Essa é a questão.

Quando os extraterrestres me pediram para falar sobre as duas Terras, visavam despertar o instinto básico de sobrevivência de cada um para que sobreviva a Terra e os demais seres aqui manifestos.

Então, pergunto a vocês: de que maneira podemos construir a Nova Terra?

Na prática e não mais na teoria.

Jesus no leme!



Dra. Mônica de Medeiros – médica, médium, fundadora da Casa do Consolador.









*  *  *