"Nós não somos seres humanos tendo uma experiência espiritual. Somos seres espirituais tendo uma experiência humana"

(Teillard de Chardin)

18 julho 2010

O inevitável...



"Senhor, tu sabes que estou envelhecendo.
Ajuda-me a pensar que não sou uma peça imprestável, no movimento da vida.
Reconheço que não tenho mais as mesmas capacidades físicas, 
que me animaram a juventude, nem os mesmos reflexos e disposição. 
Contudo, auxilia-me a não desanimar, e muito menos pedir 
aposentadoria indevida das lides do mundo.
Não me deixes emurchecer, como flor queimada pelo sol.
Não permitas que eu tenha a idéia fixa de falar de mim o tempo todo.
Impede-me de repetir detalhes infindáveis. 
Dá-me rapidez para que eu seja objetivo. 
Fecha a minha boca quando eu estiver propenso 
a falar de minhas dores e de meus sofrimentos. 
Eles estão aumentando com o passar dos anos,
e meu desejo de falar deles aumenta a cada dia.
Ensina-me a dialogar, sem me fazer  excessivamente falador,
a fim de não causar  indisposição nos demais.
Não me permitas conceber limitações desnecessárias.
Coloca as minhas mãos no trabalho a fim de que eu elabore 
ainda criações no campo da música,
da pintura, da jardinagem, da  cerâmica.
Ensina-me a melhor ocupação para o tempo que disponho.
Um tempo que, desde os dias da  juventude, reclamava não ter.
Permita que eu me levante a cada dia disposto a aprender alguma coisa mais. 
Pode ser uma  forma diferente de usar o pincel, uma breve poesia, 
um ensinamento, uma receita surpreendente.
Desejo ser jovial sem parecer tolo e imprudente. 
Torna-me solícito mas não abelhudo. Prestativo, mas não dominador.
Desejo ser um avô que possa contribuir  com a educação dos meus netos
e não os deseducar, com a única finalidade de que apreciem sair comigo, 
nas tardes de primavera.
Ensina-me, ainda, a gloriosa lição de que, às vezes, posso estar errado. 
Aprendi muito, guardo experiências preciosas, 
mas não tenho o direito de desprezar os avanços da modernidade e da ciência.
Depois de ter adquirido uma enorme bagagem de sabedoria e experiência, 
parece uma pena eu não poder usá-la  totalmente,
sem criar embaraços aos demais.
Não me permitas secar a fonte das lágrimas. Precisarei delas, com certeza,
nas horas de tristeza, para desafogar o coração cansado. 
Entretanto, não me deixes tornar um ser melancólico e chorão.
Permite-me gozar do calor do sol e da bênção da chuva, 
com o mesmo entusiasmo de sempre.

Senhor, o meu desejo final é ter sempre alguns amigos.
Esses seres abençoados que, no mar imenso da vida, 
qual jangada preciosa, remaram firmemente ao meu lado. 
Muitos deles poderão partir antes de mim, mas permite que alguns permaneçam
a fim de que nunca desapareça de vista a expectativa das suas presenças. 
Enfim Senhor, torna-me um ancião nobre, 
que demonstre a sabedoria do envelhecimento digno. 
Se a dependência física se tornar necessária, 
ajuda-me, a ter paciência comigo mesmo, 
suportando o corpo que tanto me serviu até aqui.
Com ele eu dancei, cantei,  viajei, vivi doçuras, momentos bons e maus. 
Auxilia-me a continuar a amá-lo."