"Nós não somos seres humanos tendo uma experiência espiritual. Somos seres espirituais tendo uma experiência humana"

(Teillard de Chardin)

14 novembro 2010

Relembrando a Origem do Espiritismo


A grande maioria acredita que o espiritismo surgiu a partir de Alan Kardec.

Entretanto, Kardec apenas procurou de forma lógica e racional entender eventos tidos como sobrenatural ou sem explicação sensata.

A verdade é que as manifestações dos espíritos ocorrem entre os homens em todos os tempos da história. Na própria Bíblia, é onde existem um dos maiores números de relatos espíritas que podem ser elucidados e explicados sobre o ponto de vista da ciência espírita.

O Espiritismo não é uma descoberta moderna. Os fatos e os princípios, sob os quais ele repousa, se perdem na noite dos tempos, pois seus traços se acham nas crenças dos povos, em todas as religiões, na maior parte dos escritores sacros e profanos. Apenas os fatos foram freqüentemente interpretados conforme as idéias supersticiosas da ignorância da época.


O Espiritismo é uma ciência que trata da natureza, origem e destino dos espíritos, bem como de suas relações com o mundo corporal.

Na idade média a figura de Joana D’Arc, foi para a fogueira por não querer renegar as vozes espirituais, que a motivaram a libertar a França.

Daquele tempo até os tempos atuais as manifestações espirituais ocorrem no seio de qualquer classe ou religião, mas dependendo do local são consideradas “obras do diabo”, fruto da imaginação ou loucura.


O que há de moderno é a explicação lógica dos fatos, o conhecimento mais completo da natureza dos Espíritos, de sua missão e de seu modo de agir; a revelação do nosso estado futuro e, enfim, a constituição dele num corpo científico e doutrinário e suas múltiplas aplicações.

Os antigos conheciam o princípio; os modernos conhecem as minúcias.

Na Antigüidade o estudo desses fenômenos era privilégio de certas classes, que só o revelavam aos iniciados nesses mistérios; na Idade Média os que com ele se ocupavam ostensivamente eram tidos como feiticeiros e queimados vivos.

O Espiritismo, naturalmente, existia antes do famoso Mistério de Hydesville que é, sem dúvida, um acontecimento-marco da evolução das pesquisas psíquicas no mundo. Muitas vezes, apresenta-se combatido e deturpado.

O caso Hydesville resume-se no seguinte: um espírito cujo corpo estava enterrado dentro de uma casa comunica-se através de pancadas, pedindo para encontrarem o seu corpo, sob uma parede e enterra-lo. Essa experiência curiosa despertou um grande interesse nacional e internacional pela comunicação com os espíritos.


Em 1854 Alan Kardec conheceu as mesas girantes e ao participar das reuniões procurou respostas lógicas e começou a questionar aqueles que se comunicavam e descobriu que estes não passavam de espíritos de pessoas que anteriormente teriam vivido. Surge em 18 de Abril de 1957, o primeiro livro da Doutrina Espírita, o Livro dos Espíritos com 1019 perguntas feitas aos espíritos.

Vários cientistas tentaram então desacreditar o Espiritismo. Mas eis que surgem opiniões bem diferentes.

Willian Crookes, sábio inglês e pesquisador de grande acuidade, realizou durante os anos de 1870 a 1873, experiências, que se tornaram clássicas, com a médium extraordinária que foi Florence Cook , esta materializou durante três anos o espírito Katie King.

Frederico Zollner, notável físico alemão, utilizou-se, em 1877, de outro grande médium do passado, Henry Slade e, agindo como verdadeiro homem de ciência, que era, conseguiu extraordinários fenômenos de materialização, de transporte, de levitação e de escrita direta.

Willian Crawford é outro nome da Ciência, professor do Instituto Técnico e da Universidade de Belfast, que a história das pesquisas psíquicas apontará, um dia, como dos seus mais destacados e competentes cultores. A levitação de objetos foi estudada por ele com extremos cuidados.

Outros nomes se seguem, como Alexandre Aksakof, Myers,Oliver Lodge, Ernesto Bozzano,Willian Barrett.,etc.

O físico inglês Oliver Lodge em 22.11.1916, em um discurso assegura “ Mas, a conclusão é que a sobrevivência está cientificamente provada por meio da investigação cientifica.”

Crookes, afirma em 1917, ”É uma verdade incontestável que uma conexão foi estabelecida entre este mundo e o outro”.


Mas após todos estes dados, o leitor pode estar pensando: Porque então existe a discussão a respeito da sobrevivência até os dias atuais?

O filósofo José Ingenieros, já revelou o porque da situação atual desta questão em uma frase: “Onde todos andam de rastros, ninguém se atreve andar em pé”.

(Fonte: – www.ensinoespirita.blogspot.com - Francisco Amado)