"Nós não somos seres humanos tendo uma experiência espiritual. Somos seres espirituais tendo uma experiência humana"

(Teillard de Chardin)

20 abril 2011

Mediunidade Orgânica x Mediunidade de Inspiração



A Mediunidade Orgânica está em extinção.

Quando o mundo espiritual achou que o momento havia chegado, para conscientizar o homem da realidade do espírito imortal, muito se dependeu desse tipo de mediunidade.

Foi assim nos fenômenos físicos ocorridos com as irmãs Fox na América do Norte, sendo que a mesma coisa ocorreu na França com as Mesas Girantes, as quais chamaram muito a atenção de Allan Kardec, tanto esses fenômenos chamaram sua atenção que o mesmo acabou se tornando o codificador da Doutrina Espírita.

Para possuir a Mediunidade Orgânica, não era, e tampouco o é necessário, que seu portador seja dotado de uma moral ilibada e espiritualidade elevada. Portanto, essa forma de mediunidade independia e ainda independe de ser seu portador um exemplo positivo de cidadão.

Contudo, nosso amado e inesquecível Chico Xavier, dotado de todas as qualidades morais e espirituais, era um portador da Mediunidade Orgânica, daí sua capacidade e fidelidade nas psicografias que desenvolvia de mensagens de desencarnados.

Mas o mundo espiritual já cumpriu sua missão de chamar a atenção do homem para a realidade do espírito imortal, assim não se fazem mais necessários os fenômenos de efeitos físicos entre outros que serviram a essa causa.

Daí podemos raciocinar que o embrião que levaria o homem ao entendimento da vida após vida, teve a iniciativa e supervisão dos espíritos superiores.

Daqui para a frente, com o homem já consciente de seu espírito imortal, caberá a
ele a iniciativa de se aproximar e intercambiar com o plano espiritual.

Só que essa aproximação com o plano etéreo, agora com a iniciativa do homem, exigirá dele o aprimoramento moral e espiritual. Sem essas qualidades será cada
vez mais difícil seu acesso à espiritualidade.

Assim, podemos entender que estamos em um momento de transição das formas de mediunidade. A Mediunidade Orgânica vai entrando em extinção dando lugar a Mediunidade de Inspiração.

A Mediunidade de Inspiração é a possibilidade do médium receber pensamentos dos espíritos, ou elevar-se a uma condição que percebe os pensamentos ambientes e pode reproduzi-los ao seu modo. 

Ela é muito útil a escritores, poetas e oradores. Quando os poetas da antigüidade evocavam as musas inspiradoras, nada mais fazia que evocar os espíritos para inspirá-los. Há oradores espíritas que falam sob grande inspiração, mas isso não os desobrigam a preparar as palestras.

A capacidade do Médium de Inspiração, dependerá muitíssimo de sua conduta moral e de sua evolução espiritual, ao contrário da Mediunidade Orgânica.

Como hoje, uma quantidade enorme de pessoas recém enlutadas procuram as casas espíritas com a finalidade de obter mensagens psicografadas de seus entes queridos desencarnados, uma orientação se faz necessária: "os Médiuns de Inspiração não possuem acesso as informações de desencarnados", por isso atualmente é tão difícil encontrarmos mensagens psicografadas que nos convençam de suas origens.

Muitas dessas "psicografias" tem suas origens no animismo do médium!

As psicografias de Chico Xavier, continham sempre, a título de código, uma informação, um apelido de família, um fato íntimo, que somente a família do desencarnado mensageiro tinha conhecimento, assim, todos possuíam certeza quanto a fidelidade de suas psicografias.

Além de outros relevantes trabalhos nas casas espíritas, os portadores da Mediunidade de Inspiração poderão, dependendo da evolução de cada um, é claro, ser inspirados nas artes, tais como, na pintura, na literatura, na música, entre outras...

(Rui Fernandes Morgado)

fontes: