"Nós não somos seres humanos tendo uma experiência espiritual. Somos seres espirituais tendo uma experiência humana"

(Teillard de Chardin)

14 junho 2013

Eu me perdoo



Eu me perdoo por ter errado tantas vezes mesmo achando que acertava

Eu me perdoo por algumas vezes ter perdido a calma e a razão

Eu me perdoo por não notar que meus lábios sorriam menos

Eu me perdoo por ter calado meu coração por tantas vezes, quando ele queria gritar

Eu me perdoo por ter fingido não ouvir minhas sábias vozes interiores que me diziam o caminho certo a seguir

Eu me perdoo por ter amado tanto e não ter percebido que o brilho de seu olhar se perdeu em uma noite escura

Eu me perdoo por ter negado minhas vontades e valorizado as suas

Eu me perdoo por não ter visto que você sugava o melhor de mim e não oferecia nem um pouco ou quase nada de você.

Eu me perdoo por ter muitas vezes omitido minhas mais sinceras palavras

Eu me perdoo por ter acreditado em uma imagem que não passava de ilusão

Eu me perdoo por ter tido tanta esperança de que você confiasse em mim

Eu me perdoo por ter pensado muitas vezes que você valorizava a grande mulher que estava ao seu lado

Eu me perdoo por ter confiado na sua capacidade e vontade de ser alguém

Eu me perdoo por querer te fazer feliz

Eu me perdoo por ter amado seu universo inteiro e pensado que eu fazia parte dele

Eu me perdoo por ter pensado que você me respeitava e me amava

Eu me perdoo por ter demorado a perceber que nossos caminhos não eram os mesmos

Eu me perdoo por ter acreditado nos sonhos que me levaste a criar em minha alma

Eu me perdoo por ter te perdoado tantas vezes

Eu me perdoo, pois o ato de perdoar deixa minha alma leve e meu espírito em paz.


(Elzenir Apolinário)





*  *  *