"Nós não somos seres humanos tendo uma experiência espiritual. Somos seres espirituais tendo uma experiência humana"

(Teillard de Chardin)

16 março 2011

O que é o Passe?


O passe é uma transfusão de energias espirituais e vitais, isto é, a passagem de energias de um indivíduo para outro.

As energias vitais são oriundas dos encarnados (passista) e as energias espirituais dos desencarnados (Espíritos que colaboram no passe).

O passe é um procedimento fluídico-magnético, que tem como principal objetivo o reequilíbrio do corpo físico e espiritual. A variação das condições fluídicas perispirituais de qualquer criatura viva produz desequilíbrios orgânicos e psicológicos, que podem dar origem a enfermidades.

Daí, a importância da terapia energética dos passes como tratamento, mas principalmente como profilaxia das enfermidades.

A transfusão se dá através da imposição das mãos, sem a necessidade de tocar-lhe o corpo, porque a força energética se projeta de uma para outra aura, estabelecendo uma verdadeira ponte de ligação; as mãos direcionam o fluxo.

O fluxo energético se mantém e se projeta pela vontade do médium passista, como também de entidades espirituais que auxiliam na composição do fluidos necessários ao paciente.

Os Espíritos superiores ensinam que as mãos servem como instrumento para a projeção e direcionamento dos fluidos magnetizados, doados pelo operador, e fluidos espirituais, trazidos pelos Espíritos.

A eficácia do passe depende tanto do passista quanto do paciente.

Em relação ao passista:

- deve estar bem com sua saúde física (o fluído vital depende do estado de saúde do passista)
- estar em equilibrio emocional (manter puro o fluído espiritual que passará pelo médium depende da sua elevação espiritual)

Em relação ao paciente :

- deve estar receptivo, favorável ao recebimento da ajuda, vibrando mentalmente para melhor absorver o recurso espiritual.
- disposto a melhorar espiritualmente (a ajuda do passe é passageira e tais recursos fixar-se-ão e novos acrescentar-se-ão quando o indivíduo passar a ter vida cristã.)

Conforme nos conta André Luiz no livro “Nos Domínios da Mediunidade”, a eficácia do passe também está diretamente ligada ao estado de confiança do paciente, sem a qual os medicamentos espirituais não penetram o veículo orgânico, trazendo alívio ao paciente.

Não existe número ou limite para a quantidade de passes que podemos aplicar. A quantidade de passes transmitidos poderá levar o médium a um cansaço físico mas nunca à exaustão fluídica, a reposição de fluídos se dá automaticamente.

O passista não precisa ser um santo, mas necessita esforçar-se na melhoria íntima e no aprendizado intelectual.

Fatores negativos físicos que prejudicam os resultados do passe: uso do fumo e do álcool; desequilíbrio nervoso; alimentos inadequados.
Fatores negativos espirituais/morais: Mágoas, más paixões, egoísmo, orgulho, vaidade, cupidez, vida desonesta, adultério, melindres, etc.

Fumar gasta muita energia vital. Embriagar-se gasta muita energia vital. Toda a pessoa que fuma ou se embriaga tem carência de energética vital, portanto, ao dar passe o passista que fuma os faz uso de bebidas alcoólicas poderá vampirizar o paciente sugando a carga energética vital. Mágoas, más paixões, egoísmo, orgulho, vaidade, cupidez, vida desonesta, adultério etc., também causam deficiência de energética vital.

Usa-se, com freqüência, no meio espírita, o termo “médium passista”. Todo passista é médium?

O passe magnético não é um ato mediúnico. Trata-se de uma transfusão de energia magnética, algo semelhante à transfusão de sangue. 

Não é preciso uma condição especial para doar sangue, apenas que o doador seja saudável. O mesmo acontece com o passe.

Embora contando com a participação dos espíritos na aplicação, o passista é um doador de energias. Não é preciso, portanto, ter uma mediunidade específica. 

Qualquer pessoa pode aplicá-lo, desde que conheça a técnica e se submeta às disciplinas que lhe são inerentes. Basta estar bem, física e psiquicamente e principalmente cultivar o desejo de servir.