"Nós não somos seres humanos tendo uma experiência espiritual. Somos seres espirituais tendo uma experiência humana"

(Teillard de Chardin)

27 agosto 2017

Os Trabalhadores da Luz – Quem são eles?


Os Trabalhadores da Luz são almas que possuem o forte desejo interior de difundir Luz (conhecimento, liberdade e amor) sobre a Terra.

Eles sentem isso como sua missão. São freqüentemente atraídos para a espiritualidade e para algum tipo de trabalho terapêutico.

Devido ao seu profundo sentimento de missão, os Trabalhadores da Luz sentem-se diferentes de outras pessoas.

Ao experimentarem diferentes tipos de obstáculos em seus caminhos, a vida os estimula a encontrar seu caminho próprio, único.

Os Trabalhadores da Luz quase sempre são indivíduos solitários que não se adaptam às estruturas sociais estabelecidas.

*

A expressão “Trabalhador da Luz” pode provocar mal-entendidos, já que diferencia um grupo particular de almas, do resto.

Além disso, pode parecer sugerir que este grupo particular é de algum modo, superior aos outros, por exemplo, àqueles “não Trabalhadores da Luz”. 

Toda esta linha de pensamento está em desacordo com a própria natureza e objetivo do trabalho da Luz.

Permitam-nos expor brevemente o que há de errado nisso.

*

Primeiro: pretensões de superioridade geralmente não são iluminadas. Elas bloqueiam seu crescimento em direção a uma consciência livre e amorosa.

Segundo: os Trabalhadores da Luz não são “melhores” nem “superiores” a ninguém. Eles simplesmente têm uma história diferente daquela dos que não pertencem a este grupo. 
Graças a esta história peculiar, que discutiremos mais adiante, eles têm certas características psicológicas que os distinguem como um grupo.

Terceiro: toda alma chega a ser um Trabalhador da Luz em determinada etapa do seu desenvolvimento. Portanto, a qualificação “Trabalhador da Luz” não está reservada para um número limitado de almas.

*

A razão pela qual se utiliza o termo “Trabalhador da Luz” – apesar dos possíveis mal-entendidos – é porque ela traz associações e agita memórias dentro do peito para ajudar a recordar de sua verdadeira essência.

*

Os Trabalhadores da Luz trazem consigo a habilidade de alcançar o despertar espiritual mais rapidamente que outras pessoas.

Eles carregam sementes internas para um rápido despertar espiritual.

Por causa disso, parecem estar numa via mais rápida que a maioria das pessoas, se assim escolhem.

Mais uma vez, isto não acontece porque os Trabalhadores da Luz sejam de algum modo almas “melhores” ou “superiores”. 

No entanto, eles são mais velhos que a maioria das almas encarnadas na Terra atualmente.

Esta idade “mais velha” deve ser entendida, de preferência, em termos de “experiência”, mais que de “tempo”.

Alcançaram um estágio particular de iluminação, antes de encarnarem na Terra e começarem sua missão.

Eles escolheram conscientemente envolver-se na “roda cármica da vida” e experimentar todas as formas de confusão e ilusão que fazem parte dela.

*

Fizeram isto para compreender completamente “a experiência da Terra”.
Isto lhes permitirá cumprir sua missão. 
Só passando, eles mesmos, por todos os estágios de ignorância e ilusão, é que eles possuirão finalmente as ferramentas para ajudar os outros a alcançar um estado de verdadeira felicidade e iluminação.

*

Mas, por que os Trabalhadores da Luz perseguem esta missão sincera de ajudar a humanidade, mesmo correndo o risco de se perderem, durante eras, na densidade e confusão da vida terrestre?

Eles presenciaram a véspera do nascimento da humanidade na Terra.
Eles fizeram parte da criação do homem. Foram co-criadores da humanidade.
Durante o processo de criação, eles fizeram escolhas e agiram de forma que mais tarde vieram a lhes causar um profundo arrependimento.
Vieram muitas vezes a Terra. São almas antigas, e embora muitas hoje sejam jovens, são dotados de muita sabedoria e decidiram retornar aqui e agora para reparar suas decisões anteriores e auxiliarem suas famílias espirituais e a humanidade em sua ascensão.

*

As principais características psicológicas dos trabalhadores da luz são:

1 – Desde cedo em suas vidas, eles sentem que são diferentes. Quase sempre, sentem-se isolados dos outros, solitários e incompreendidos. Frequentemente tornam-se individualistas e têm que encontrar seus próprios caminhos na vida;

2 – Têm dificuldade para se sentir à vontade em empregos tradicionais e/ou em estruturas burocratas. Os Trabalhadores da Luz são naturalmente anti-autoritários, o que significa que resistem naturalmente às decisões ou valores baseados somente em poder ou hierarquia.
Este traço de antiautoritarismo está presente mesmo entre os que parecem tímidos e envergonhados. Ele está relacionado com a própria essência da missão deles aqui na Terra;

3 – Os Trabalhadores da Luz sentem-se atraídos para ajudar as pessoas, e muitos escolhem serem nesta vida terapeutas, professores, treinadores, etc. Podem ser psicólogos, curadores, professores, enfermeiros, coachees, etc.
Mesmo que a sua profissão não esteja diretamente relacionada com ajudar pessoas, sua intenção de contribuir para o bem-estar da humanidade está claramente presente. Sempre estarão envolvidos em promover o bem-estar coletivamente;

4 – Sua visão da vida é multicor em um sentido espiritualizado, de como todas as coisas estão relacionadas umas com as outras. Entende que tudo está em conexão. Consciente ou inconscientemente, eles levam dentro de si memórias de esferas de luz mais elevadas. Podem, ocasionalmente, sentir saudades dessas esferas de luz e sentir-se como um estranho na Terra;

5 – Honram e respeitam profundamente a vida, o que frequentemente se manifesta como afeição pelos animais e preocupação com o meio ambiente. A destruição de partes do reino animal ou vegetal na Terra pela ação do homem evoca neles profundo sentimento de perda e aflição;

6 – São bondosos, sensíveis e empáticos. Podem sentir-se incômodos ao se defrontarem com um comportamento agressivo e geralmente têm dificuldade para se defender.
Podem ser sonhadores, ingênuos ou profundamente idealistas, assim como insuficientemente “enraizados”, isto é, não ter os pés na terra.
Como eles têm facilidade para captar sentimentos e humores (negativos) das pessoas que os rodeiam, é importante que possam, regularmente, passar algum tempo a sós. Isto lhes permite distinguir entre seus próprios sentimentos e os das outras pessoas. Necessitam de momentos de solidão para recuperar a própria base e estar em contato com a mãe Terra.

7 – Viveram muitas vidas na Terra, nas quais estiveram profundamente envolvidos com a espiritualidade e/ou religião.
Estiveram presentes, em grande número, nas velhas ordens religiosas do seu passado, como monges, monjas, ermitães, psíquicos, bruxas, xamãs, sacerdotes, sacerdotisas, etc.
Foram os que construíram uma ponte entre o visível e o invisível, entre o contexto diário da vida terrestre e os reinos misteriosos de pós-vida, de Deus e dos espíritos do bem e do mal.
Por desempenharem este papel, muitas vezes eles foram renegados e perseguidos.
Muitos foram sentenciados à fogueira devido aos dons que possuíam.
Os traumas das perseguições deixaram profundas marcas na memória de suas almas.
Isso pode manifestar-se atualmente como medo de estar completamente enraizado, isto é, medo de estar realmente presente, porque vocês se lembram de terem sido brutalmente atacados por serem quem eram. Medo bloqueia as potencialidades, as habilidades e dons inatos.

*

Um dos fatores que bloqueiam o caminho da iluminação para os Trabalhadores da Luz é o fato de terem uma pesada carga cármica, que pode levá-los a se extraviarem por bastante tempo.

Como afirmamos anteriormente, esta carga cármica está relacionada com decisões que eles tomaram com relação à humanidade em suas etapas iniciais.
Foram decisões essencialmente desrespeitosas para com a vida.

*
Todos os Trabalhadores da Luz que vivem agora desejam corrigir alguns de seus erros passados e recuperar e cuidar do que foi destruído por causa disso.

Quando os Trabalhadores da Luz completarem seu caminho através da carga cármica, isto é, quando liberarem todo tipo de necessidade de poder, compreenderão que são essencialmente seres de luz.

Isso permitirá ajudar outras pessoas a acharem seu próprio caminho.

Mas primeiro eles mesmos têm que passar por esse processo, o que geralmente exige grande determinação e perseverança no nível interno.

Devido aos valores e julgamentos incutidos pela sociedade, os quais vão contra os impulsos naturais, muitos Trabalhadores da Luz se perderam, terminando em estados de desconfiança de si mesmos, autonegação e, inclusive, depressão e desesperança.

Isto porque eles não conseguem se adaptar à ordem estabelecida e concluem que deve haver algo de terrivelmente errado com eles.

*

O que os Trabalhadores da Luz têm que fazer, neste ponto, é deixar de procurar valorização externa e realmente acreditar em si mesmo e verdadeiramente honrar suas inclinações naturais e seu conhecimento interior, e agir de acordo com sua vontade.

Acreditar na própria potencialidade é abrir as portas para uma vida com verdadeiro propósito e mais felicidade.



(Cynthia Miranda Martins)










*  *  *